SPDM - Nutrição

Diabetes

diabetes

Cerca de 47% dos pacientes diabéticos avaliados em estudo recentemente realizado não tinham conhecimento da própria doença. Essa informação faz entender por que, em 2000, mais de 27% do total de mortes no Brasil ocorreram em consequência de doenças do aparelho circulatório. O diabetes mellitus constitui fator de risco para as doenças circulatórias, pois está envolvido com infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral, insuficiência renal crônica, insuficiência cardíaca, além de amputações de pés e pernas, cegueira definitiva, abortos e ocorrência de bebês natimortos. Daqueles que tinham conhecimento da doença, 41% tratavam-se com medicamentos hipoglicemiantes orais, 29% controlavam o diabetes apenas com dieta e 23% não faziam nenhum tipo de tratamento.

O diagnóstico precoce e o acesso às unidades básicas de saúde são fundamentais para o controle do diabetes, evitando assim o surgimento e a progressão de suas complicações, a redução do número de internações hospitalares, além da mortalidade.

Tratamento e prevenção do Diabetes por meio da alimentação: 

  • fazer de 5 a 6 refeições por dia (café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar, lanche da noite);
  • estabelecer horários relativamente fixos para as refeições;
  • evitar o jejum prolongado ou o excesso de alimentação — comer de 3 em 3 horas;
  • quando sair, levar sempre um lanche (exemplo, uma fruta) para evitar hipoglicemia;
  • iniciar as refeições principais com salada de folhas cruas;
  • comer diariamente alimentos ricos em fibra, como hortaliças, feijão, aveia, farelo de trigo, linhaça etc.;
  • não consumir mais de uma porção dos seguintes alimentos na mesma refeição: batata, mandioca, mandioquinha, arroz, macarrão, milho, farofa, fubá, farinhas, pães, bolachas (mesmo salgadas) ou tortas;
  • antes de cozinhar, retirar a gordura das carnes e a pele do frango;
  • preferir carnes magras (acém, coxão mole, músculo, patinho, alcatra), leite ou iogurte desnatado e queijos magros (queijo branco, ricota);
  • incluir de 1 a 2 porções de peixe na semana (sardinha fresca, cavala, arenque);
  • procurar assar, grelhar, cozinhar ou refogar os alimentos ao invés de fritá-los;
  • preferir o uso de temperos naturais (alho, hortelã, cebola, orégano, salsinha etc.), usar pouco sal e evitar temperos prontos (em pó, barras, caldos etc.);
  • após as refeições principais, optar por frutas como sobremesa;
  • não comer mais de uma porção de fruta na mesma refeição, e no máximo 4 porções de frutas por dia;
  • é proibido consumir alimentos ricos em açúcar, como refrigerantes, sorvetes, doces, balas, chocolates, bolos, chicletes, sucos prontos para beber;
  • usar adoçante artificial em substituição ao açúcar (branco ou mascavo), mel, rapadura, melaço ou xarope de milho;
  • evitar os embutidos (linguiça, salsicha, mortadela, salame etc.) e industrializados (sopas prontas, temperos, salgadinhos de pacote);
  • não consumir bebida alcoólica.

Daniela Carvalho

Daniela Carvalho,  nutricionista das Unidades Afiliadas da SPDM

 2603
   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032