SPDM - Reprodução Humana

Por que a taxa de gravidez natural é tão baixa?

utero17marSurpreendentemente, a probabilidade de o casal engravidar, num único ciclo menstrual, está entre 15 e 20%, implicando em que, mesmo em casais com fertilidade comprovada, a maior chance, em um único ciclo menstrual, é a de não engravidar. Para que possamos compreender as causas dessa “ineficiência”, vamos utilizar a figura ao lado e ilustrar os mais importantes fenômenos ligados à reprodução natural. Estamos lidando, agora, com um casal normal: nenhum dos componentes do casal tem impedimento à reprodução natural.

A mulher deve produzir um oócito (óvulo) que, depois de desenvolvimento e maturação adequados dentro do folículo ovariano, vai ser exposto à captura pela tuba (trompa), após a ruptura do folículo (ovulação). Aqui já podem surgir algumas dificuldades:

1. Mesmo a mulher com fertilidade comprovada, pode não ovular em um ou outro ciclo menstrual. Mesmo utilizando os vários recursos disponíveis para evidenciar a ruptura do folículo (exames de hormônios, ultrassom, etc..), não há como mostrar que houve saída de óvulo daquele folículo; e

2. Nem sempre as tubas conseguem capturar os oócitos. De fato, mesmo as tubas estando permeáveis, não há como determinar a funcionalidade tubária.

Continuando, o óvulo capturado pela tuba caminha, impulsionado por ela, em direção ao útero. Se, nessa ocasião, havendo relação sexual, os espermatozóides depositados na vagina devem penetrar na endocérvice uterina, atravessando o chamado muco cervical, uma secreção semelhante a “clara de ovo” que, quando abundante, pode escorrer pela vagina. Aqueles que conseguem atravessar o muco cervical penetram no útero e dai nas tubas, podendo encontrar o óvulo. Embora muitos espermatozoides possam atingir o óvulo, apenas um pode realizar a fertilização (fusão com o óvulo) formando a célula ovo, que dará origem a um novo indivíduo. Tambem nessas etapas podem ocorrer dificultantes, mesmo na mulher com fertilidade comprovada:

1. Nem sempre o muco cervical é secretado em quantidade e qualidade adequadas para a penetração pelos espermatozoides;

2. Em algumas ocasiões, pode ocorrer que  os espermatozoides não cheguem ao oócito ou, mesmo chegando, não consigam penetrá-lo e completar a fertilização.

teste de gravidez

Deixando de lado o fenômeno da implantação do embrião no útero, apenas parcialmente conhecido, vemos que é necessária uma sincronia entre os vários processos que atuam para que ocorra a gravidez. A falta dessa sicronia, mesmo em casais com fertilidade comprovada, concomita com baixa taxa de gravidez natural. Quando, no casal infértil, todos os exames iniciais estão normais, a falta de sincronia é um dos diagnósticos a ser lembrado. Neste caso, a inseminação intrauterina é uma das opções terapêuticas a ser considerada.

Para mais informações e  agendamento de consultas você pode ligar nos  seguintes telefones:

55392814 – 55395526 – 55392084 – 55392581

 

fotonova

Dr Jorge Haddad-Filho, médico do Serviço de Reprodução Humana do Hospital São Paulo

   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032