SPDM - Reprodução Humana

Quando tratar com inseminação intrauterina?

inseminacao uterina1

Algumas das causas de infertilidade conjugal são detectáveis por meio de exames específicos, conforme mostra a tabela abaixo: 

Causa

Exame que evidencia a causa

Trompas (tubas) obstruidas ou com defeito de captação do óvulo histerossalpingografia
Falta de ovulação Dosagens hormonais e ultrassonografia
Defeitos na produção de espermatozóides Espermograma, provas funcionais com o espermatozóide
Falta de integridade do útero ou endométrio Histerossalpingografia, histeroscopia
Endometriose Videolaparoscopia

Existem ainda outras causas detectáveis por meio de exames específicos. Porém, o conhecimento ainda não permite um diagnóstico de todas as causas de infertilidade. Anomalias muito graves,  que dificultam muito a reprodução, são resolvidas usualmente por meio de fertilização in vitro. No entanto, há causas menores, que funcionam mais como dificultantes do que como impedientes absolutos para a gravidez. Nesses casos, um dos tratamentos possíveis é a inseminação intrauterina.

Esse processo consiste em, primeiramente, estimular o crescimento de folículos nos ovários da paciente (a estimulação controlada dos ovários, já comentada). Isso porque nem todos os folículos que crescem tem óvulo, de modo que o crescimento de mais de um folículo traz uma certa garantia da existência de pelo menos um óvulo. Esse crescimento é monitorizado pelo exame de ultrassom e, quando um ou mais folículos atingem diâmetro médio maior ou igual a 17 mm, a chance de ocorrer um óvulo maduro é grande. Nesse momento, aplica-se uma medicação que induz e torna temporalmente previsível a liberação do óvulo (ovulação). Um pouco depois da ovulação, é colhido o sêmen que, depois de preparado (o que se procura é extrair os melhores espermatozóides da amostra), será inoculado dentro do  útero da paciente. A partir dai, espera-se que o próprio corpo realize o restante do processo: captura dos óvulos pelas tubas, encontro e fusão dos espermatozóides com os óvulos (fertilização), transporte do óvulo até o útero (por conta das tubas) e implantação do embrião no útero.

A inseminação potencia a reprodução natural, resolvendo os seguintes problemas:

1..falta de ovulação (corrigida pela estimulação ovariana)

2..pequenas perdas de qualidade ou quantidade no sêmen (corrigidas com a extração dos melhores espermatozóides para inocular no útero)

3..defeitos de entrada do espermatozóide no útero, por incompatibilidade com o muco cervical (clara de ovo que sai durante a ovulação), posto que os espermatozóides são colocados diretamente dentro do útero, evitando atravessar a camada desse muco

Para mais informações e  agendamento de consultas você pode ligar nos  seguintes telefones:

55392814 – 55395526 – 55392084 – 55392581

 

fotonova

Dr Jorge Haddad-Filho,  médico do Serviço de Reprodução Humana do Hospital São Paulo

   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032