SPDM - Saúde em geral

Fundo de olho para todos os diabéticos e hipertensos – uma realidade com novo recurso tecnológico

111Um dos maiores desafios da área da saúde pública é atender às necessidades da população com rapidez, eficiência e racionalização de recursos. Segundo o oftalmologista Paulo Henrique Morales, a “receita” é otimizar a assistência, facilitando o acesso tanto ao atendimento médico especializado quanto aos exames necessários, levando-os para mais perto da população. “Isso só faz aumentar a aderência ao tratamento, com melhor resultado e menor custo social.”

Seguindo esse princípio, no final de 2012 a SPDM – Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, em parceria com o Ipepo – Instituto da Visão, colocou à disposição da população da microrregião Vila Maria/Vila Guilherme um sistema de teleoftalmologia para detecção e monitoramento de casos de retinopatia diabética, hipertensão arterial e usuários de cloroquina (medicação para doenças reumatológicas com efeito colateral na retina) na região, com capacidade instalada de 1.300 exames mensais.

Essa ferramenta da tecnologia está baseada na retinografia, um exame de imagem que fotografa áreas do fundo do olho, como a retina e os vasos sanguíneos, possibilitando a detecção precoce das retinopatias.

retinopatia diabética é a principal complicação decorrente do diabetes mellitus, doença que atinge cerca de 20% da população com mais de 70 anos e pode levar à cegueira. O exame, não invasivo, não exige a presença de um oftalmologista – é realizado por técnicos devidamente treinados para captar as imagens de maneira adequada e transmiti-las a um centro especializado, onde são analisadas e classificadas por um especialista, que também se encarrega de sugerir o tratamento e de enviar esses dados à unidade responsável pelo paciente, à disposição da equipe multiprofissional. “Devido ao seu grau de sensibilidade, esse exame também serve de índice para prever outras complicações da hiperglicemia crônica, como lesões nas coronárias e insuficiência renal”, explica o dr. Morales. “Outro ponto importante é que, ao obter imagens das artérias e veias dos olhos do paciente, o exame ajuda a detectar doenças como hipertensão arterial e dislipidemia, além de checar o efeito do uso contínuo de alguns medicamentos na retina.”

O sistema de retinografia a distância está instalado na Unidade Básica de Saúde (UBS) do Jardim Japão, bairro que faz parte da microrregião Vila Maria/Vila Guilherme. A SPDM é responsável pela gestão dessa microrregião, que compreende os distritos administrativos dos bairros Vila Maria, Vila Guilherme e Vila Medeiros, e que ocupa uma área de 26,4 quilômetros quadrados, correspondendo a 1,75% da área total do município, com população estimada em 284.337 habitantes. São 12 UBS, com três AMA (Assistência Médica Ambulatorial), uma AMA-E (Assistência Médica Ambulatorial de Especialidades); sendo duas UBS com estratégia Saúde da Família (PSF), uma UBS com Unidade de Referência em Saúde do Idoso (URSI) e com Núcleo Integrado de Reabilitação (NIR) e uma unidade com Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), todas cobertas pelo programa de teleoftalmologia.

Esse programa será estendido a outras áreas assistidas pela SPDM, sendo a região do Taboão da Serra a próxima, com previsão de inauguração em abril de 2013.

 2900
   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032