SPDM - Saúde em geral

Odontologia em indivíduos com necessidades especiais

A Odontologia para pacientes com necessidades especiais, desde 2001, constitui especialidade reconhecida pelo Conselho Federal de Odontologia com objetivo: “diagnóstico, prevenção, tratamento e controle dos problemas de saúde bucal dos pacientes que apresentam uma complexidade no seu sistema biológico e/ou psicológico e/ou social, bem como percepção e atuação dentro de uma estrutura transdisciplinar com outros profissionais de saúde e de áreas correlatas com o paciente”.

Até alguns anos atrás, determinados tipos de pacientes especiais apresentavam um prognóstico desfavorável em relação à sua condição bucal por falta de conhecimento e negligência em relação aos cuidados odontológicos. Muitas vezes, era dada importância secundária à saúde bucal pela presença de outros problemas considerados, em um primeiro momento, mais importantes. Entretanto, atualmente, um número crescente de famílias e pacientes tem procurado obter mais orientações e buscado tratamento odontológico.

Nas crianças com necessidades especiais, podemos observar todos os problemas odontológicos presentes em crianças normorreativas, geralmente agravados pela negligência ou desconhecimento por parte dos responsáveis. Deve-se dar ênfase à educação e ao estabelecimento de uma comunicação efetiva, não apenas com a criança, mas também com seus familiares para o êxito do atendimento. O cirurgião-dentista que irá receber uma criança especial em seu consultório, antes de tudo, deve ter conhecimento, respeito e amor pela criança que irá atender.

Os procedimentos odontológicos não diferem tecnicamente. As principais diferenças estão nas características do espaço físico do consultório (seu acesso facilitado através de rampas, elevadores e ainda arquitetura das salas, que deve ter portas amplas, permitindo a passagem de cadeira de rodas e locomoção adequada dos pacientes); na análise psicológica do paciente e da família; na abordagem do próprio paciente (posicionamento deste na cadeira odontológica, tipo de comunicação a ser estabelecida); nos cuidados pré-operatórios (em pacientes que fazem uso de medicamentos, exames complementares se necessário); na utilização de determinados instrumentos odontológicos (abridores de boca) e, finalmente, na escolha do melhor material odontológico a ser empregado. Deve-se ressaltar que muitos pacientes necessitam de atendimento odontológico em âmbito hospitalar, por apresentarem condições sistêmicas desfavoráveis, que requerem um monitoramento.

Então por que a saúde bucal de muitos destes indivíduos com necessidades especiais ainda é alarmante? Muitos ainda postergam o atendimento odontológico por sentirem medo, insegurança, ou apenas procuram tratamento ao sentirem dor, tendo deste modo uma atuação curativa, invasiva e muitas vezes mutiladora... Há os que dependem de um cuidador, apresentam dificuldades de comunicação... A Odontologia Preventiva em indivíduos com necessidades especiais é uma realidade e deve ser estimulada por todos os profissionais da área da saúde. A presença de doença bucal afeta a saúde geral do indivíduo, com inúmeros trabalhos publicados a este respeito.

Deste modo o controle da dieta (frequência/consistência de açúcar), higiene bucal (uso de escova/ fio dental/adaptações) e uso de pasta de dente com flúor devem ser altamente recomendados nesta população. Igualmente importante é a necessidade do profissional da Odontologia orientar e preparar o cuidador, capacitando-o.

O cirurgião-dentista deverá atuar sempre numa equipe multidisciplinar ou multiprofissional, proporcionando ao paciente com necessidades especiais, dentro de suas condições, uma melhor qualidade de vida seja ele bebê, criança ou adulto. Ao adquirir conhecimento quanto às principais doenças que acometem a cavidade bucal do indivíduo especial, deve enfatizar a importância da saúde bucal como parte integrante da saúde geral.

Profa Dra Renata de Oliveira Guaré

Professora Doutora em Odontopediatria pela F.O.U.S.P.

Professora da Disciplina de Odontopediatria e Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais- Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL)

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 7948
   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032