Clipping

Samu de Florianópolis tem nova base no Centro da cidade

nova sede SAMUDepois de funcionar provisoriamente por cerca de seis meses no Hospital Florianópolis e no Cepon (Centro de Pesquisas Oncológicas) por conta da interdição da antiga sede pela Vigilância Sanitária, o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) de Florianópolis agora opera em nova unidade. A nova base fica na rua Emir Rosa, 553, no Centro, em um espaço de aproximadamente 400 m². Com a mudança, uma unidade foi deslocada de Florianópolis para Palhoça com o objetivo de reduzir o tempo de espera de quem precisa de atendimento fora da Capital. A base de Palhoça também foi reformada. 

Interditada por problemas de insalubridade, falta de higiene e segurança, a antiga base do Samu estadual em Florianópolis, que ficava na rua Esteves Júnior, era usada desde 2005, quando o serviço foi criado. A maior dificuldade em transferir a base foi encontrar um local adequado para a agilidade do serviço e com capacidade de abrigar as duas ambulâncias. 

Para a nova base foi alugada uma casa de dois andares, que abriga as equipes de socorro e as unidades de suporte avançado equipadas com UTI (Unidade de Terapia Intensiva) móvel. “Esta nova base trará mais conforto e está readequada dentro dos padrões da vigilância sanitária, dando mais segurança à operacionalização dos serviços feitos dentro dos padrões. Estamos operando normalmente e só faltam alguns ajustes de questões administrativas na base”, explicou Cesar Augusto Korczaguin, gerente estadual do Samu. 

Foram investidos R$ 163 mil para a reforma da base de Florianópolis e R$ 135 mil para a de Palhoça. Os dois prédios são alugados. Na Capital, o aluguel da casa custa R$ 10 mil e, em Palhoça, R$ 4,5 mil. As verbas são da Secretaria de Saúde do Estado em parceria com a SPDM (Sociedade Paulista para o Desenvolvimento da Medicina). 

Reestruturação em todo o Estado 

A necessidade de deslocar uma ambulância e criar uma base fixa para Palhoça não afetará os serviços em Florianópolis, de acordo com Cesar Augusto Korczaguin, gerente estadual do Samu. “Antes deslocávamos unidades de Florianópolis ou São José para os atendimentos de Palhoça, o que acabava afetando o tempo de atendimento. Agora, as chamadas de Palhoça serão atendidas por uma unidade da própria cidade”, explica. 

Quatro ambulâncias atendem a Grande Florianópolis. Duas ficam na Capital, uma em São José e uma em Palhoça. Em Florianópolis, a equipe é composta por 28 médicos, 12 enfermeiros e seis motoristas socorristas, mas as equipes trabalham com um profissional técnico de cada área por plantão. 

As renovações das bases fazem parte de um programa de reestruturação do Samu em Santa Catarina. Além de Florianópolis e Palhoça, há outras 21 unidades do Samu estadual espalhadas por diferentes cidades e que receberam ou ainda receberão reformas. De acordo com o gerente estadual do Samu, todas as adequações atendem às portarias e normas vigentes do Ministério da Saúde. 

NOVA BASE 

Estrutura em Florianópolis 

- Duas garagens com calhas para a lavação das ambulâncias 
- Sala de expurgo para materiais sujos 
- Espaço para lavação de macas 
- Depósito de materiais de limpeza 
- Sala de lixo infectante 
- Sala de equipamentos, com macas reservas e encubadoras 
- Dois quartos de repouso 
- Almoxarifado/sala de farmácia 
- Salas administrativas 
- Copa 
- Sala de estar 
- Banheiros 

Atendimento pelo telefone 192

Fonte: RIC Mais