Imprimir esta página

Dica Cultural

Fumando Espero - um filme para ajudar a largar o cigarro

Fumando Espero - um filme para ajudar a largar o cigarro

Depois de 20 anos fumando diariamente dois maços por dia, cerca de 40 cigarros, a diretora de cinema e roteirista carioca Adriana Dutra tomou a decisão de parar e com sua batalha pessoal nasceu o documentário Fumando Espero – o título é uma homenagem a um tango de Carlos Gardel, popular nos anos 1950, gravado no Brasil pela cantora Ângela Maria.

Não é uma cruzada contra o fumo, mas sim um trabalho de pesquisa sobre todo o universo do cigarro, desde os pequenos produtores de tabaco até as pessoas que conseguiram, que não conseguiram ou que nem tentaram parar de fumar.

Diretora e personagem, Adriana teve ela mesma várias recaídas antes de conseguir parar de fumar, o que faz parte do processo. Esse é um dos aspectos abordados no documentário: a dificuldade em largar um vício que faz mal à saúde.

A trajetória do tabagismo na sociedade dos séculos XX e XXI é contada aqui por meio de entrevistas com anônimos e celebridades, como Eduardo Moscovis, Carla Camurati, Scarlet Moon, Miúcha, Ney Latorraca, Rita Guedes entre outros.

Por outro lado, a obra também dá voz a médicos, ativistas, publicitários, agricultores que plantam fumo e que são quase escravos de uma das indústrias que mais lucra no mundo.

O documentário é ao mesmo tempo denúncia e entretenimento. Com todos os assuntos e momentos difíceis, em várias partes é pautado por muito humor. E o recurso de animação é usado para apresentar dados sobre o tabagismo no Brasil e no mundo.

Na seara da denúncia o filme mostra a exploração dos agricultores no sul do Brasil, que são ao mesmo os maiores exportadores de fumo do mundo e escravos das multinacionais que produzem cigarros; o descaso da Justiça em relação às ações indenizatórias movidas contra a indústria tabagista; o marketing disfarçado feito pelas empresas de cigarro, que atinge crianças e adolescentes em pontos-de-venda e o engodo dos cigarros light.

Lançado em 2008, o filme é uma ferramenta bacana usada como aliada no tratamento para parar de fumar, sendo apresentado em uma das sessões que compõe o programa da rede de Centro de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas (CAPS-AD) e Unidade Básica de Saúde (UBS).

Fumando Espero pretende trazer uma reflexão sobre o cigarro e sobre a indústria tabagista sem necessariamente levantar bandeiras. Uma boa pedida para fumantes e não-fumantes.

Fumando Espero (2008), dirigido por Adriana L. Dutra, com Eduardo Moscovis, Carla Camurati, Scarlet Moon, Miúcha, Ney Latorraca, Rita Guedes.

 4730
(1 Votar)