Dica Cultural

“Uma mente brilhante” que venceu a esquizofrenia e ganhou o prêmio Nobel

“Uma mente brilhante” que venceu a esquizofrenia e ganhou o prêmio Nobel

Imagine ter que aprender a viver diferenciando diariamente o que é real e o que é imaginário. Uma Mente Brilhante conta como um portador de esquizofrenia aprendeu a conviver com essa enorme dificuldade, usando suas adversidades a seu favor, chegando a ser aclamado com um Prêmio Nobel.

Mas não se trata de uma ficção, onde os gênios e heróis passam por dificuldades mirabolantes para terem um final feliz. Definitivamente não. Essa é a história verdadeira de John Nash, interpretado por Russell Crowe, um matemático que aos 21 anos formulou um teorema que tornou sua genialidade reconhecida, mas sua maior façanha foi a luta contra a esquizofrenia (muitas vezes incapacitante), que o permitiu ainda assim brilhar na sua área de atuação.

O jovem Nash, tão arrogante quanto gênio, se revelou um grande matemático desde a sua chegada à tradicional Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, e teve logo seu talento reconhecido por professores e colegas. Sua genialidade chama tanta atenção quanto seu estranho comportamento social.

Sem jeito com as garotas e extremamente rude com os colegas, o matemático chegou a desdenhar dos trabalhos alheios, dizendo achar que não incorporavam novidades ao estudo da matemática, sendo apenas ensaios acerca de pontos já defendidos em obras anteriores.

Fez questão de defender uma tese única, que pudesse marcar com sua assinatura e o projetasse para o mundo.  E durante seus anos de estudo, encontrava sempre por perto um colega espirituoso, muito diferente de si - Charles (Paul Bettany), que o estimulava constantemente, durante suas crises mais pesadas. Na verdade, Charles era o único que o compreendia sem julgamentos.

As dificuldades começam quando Nash é convidado a dar aulas no Massachussets Institute of Technology (MIT), o mais conceituado de todos os centros de pesquisa na área de matemática e engenharia dos Estados Unidos. Lá, ele é recrutado pelo governo para decifrar códigos, a fim de evitar que mensagens soviéticas pudessem ser passadas através de inocentes matérias publicadas em jornais e revistas para agentes russos.

Foi nesse período que conheceu sua esposa Alicia (Jennifer Connely), que foi marcante e decisiva em sua vida. Com a ajuda dela e com sua própria força e inteligência, John Nash superou as adversidades e conseguiu seguir com certa normalidade em sua vida. É tocante e muito ilustrativa a cena, já no fim do filme, em que um representante no Prêmio Nobel o procura na universidade e John para um de seus alunos para perguntar: “você está vendo uma pessoa conversando comigo?”.

John Forbes Nash Jr., de 86 anos, e sua esposa Alicia Nash, de 82, morreram em um acidente de carro em maio de 2015, nos Estados Unidos.

Uma Mente Brilhante (A Beautiful Mind, 2001), dirigido por Ron Howard, com Russell Crowe, Ed Harris, Jennifer Connelly, Paul Bettany, Adam Goldberg, Josh Lucas, Christopher Plummer e Judd Hirsch.

 7524
(2 votos)
   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032