Dica Cultural

Garota, Interrompida: uma história sobre transtornos psicológicos e a definição de loucura

Garota, Interrompida: uma história sobre transtornos psicológicos e a definição de loucura

O que é loucura para você? “Garota, Interrompida” nos leva ao mundo de Claymoore, um hospital psiquiátrico repleto de garotas que não necessariamente são loucas, mas muitas vezes apenas mal compreendidas.

Susanna Kaysen (interpretada por Winona Ryder) é uma jovem que acaba de sair da adolescência e entrar na vida adulta, com problemas de comportamento que a fazem tentar cometer suicídio com uma dose de aspirinas e uma garrafa de vodca. Após o episódio, ela passa por uma sessão de psicanálise e, induzida pelos pais, é internada em um hospital psiquiátrico.

Diagnosticada com Transtorno de Personalidade Limítrofe (ou borderline), Susanna acaba passando dois anos internada e conhece outras garotas, todas com uma série de transtornos, que mudam a sua vida.  Georgina Tuskin (Clea DuVall) é uma mentirosa patológica, Daisy Randone (Brittany Murphy) foi abusada sexualmente e é viciada em laxante e frangos, Janet Webber (Angela Bettis) é anoréxica e Polli “Torch” (Elisabeth Moss) é uma vítima de queimadura que tem um comportamento infantil. Não importa o que aflija estas garotas, na década de 60 todas eram consideradas loucas.

Mas o destaque mesmo fica para Lisa Rowe (vivida por Angelina Jolie), uma sociopata capaz de manipular todos ao seu redor. A personalidade de Lisa intriga tanto Susanna que elas acabam criando um laço um tanto quanto complexo, onde uma tenta entender e ajudar a outra.

Baseado no livro de autoria da própria Susanna Kaysen, que realmente passou por um hospital psiquiátrico, o longa aborda vários pontos importantes da psiquiatria. A começar pelo transtorno de Susanna, que se caracteriza pela instabilidade de humor, relacionamentos interpessoais, comportamento e da ideia que a pessoa tem de si mesma. A pessoa tem dificuldades para regular suas emoções, o que afeta a vida em todos os aspectos, familiar, amorosa e profissional. Os sintomas, na verdade, são ambíguos, encaixando-se em muitas garotas que estão simplesmente atravessando a fase da adolescência.

Além do suicídio, o filme consegue mostrar também como problemas psicológicos eram tratados, e banalizados, na época. Quem era considerado louco? Praticamente todos que fugiam de um padrão e, por isso, deveriam ser internados em instituições psiquiátricas. As internas recebem medicação sem nem mesmo saber para que serve, o que acaba até mesmo levando à dependência.

“Garota, Interrompida” é um filme longo e denso, trabalha e explora a mente das pessoas e nos faz refletir sobre a influência que as pessoas ao nosso redor exercem sobre nós. Por seu papel como Lisa, Angelina Jolie ganhou o Oscar e o Globo de Ouro de Melhor Atriz Coadjuvante em 1999. Vale a pena reservar um tempo para assistir!

Garota, interrompida (Girl, Interrupted, EUA, 1999) dirigido por James Mangold, com Winona Ryder, Angelina Jolie, Elisabeth Moss, Clea DuVall, Brittany Murphy, Whoopi Goldberg, JeffreyTambor, Vanessa Redgrave.

Garota, Interrompida: uma história sobre transtornos psicológicos e a definição de loucura

 12212
(7 votos)
   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032