Dica Cultural

E se vivêssemos todos bem com o envelhecimento?

E se vivêssemos todos bem com o envelhecimento?

Neste Dia do Idoso trazemos um filme que trata sobre a velhice fugindo do clichê. Nascer, crescer, envelhecer...viver!  Para muitos a continuação dos três pontinhos seria ‘morrer’, mas não para este grupo de amigos idosos em “E se vivêssemos todos juntos?”, que encaram esta fase da vida pela qual todos nós iremos passar, com muito bom humor.

Annie (interpretada por Geraldine Chaplin), Jean (vivido por Guy Bedos), Albert (Pierre Richard), Jeanne (Jane Fonda) e Claude (Claude Rich) são amigos há décadas. Enquanto Annie e Jean são casados, assim como Jeanne e Albert, Claude é um ex-fotógrafo que permanece sendo um solteirão convicto e continua aproveitando a vida com todos os seus prazeres.

Depois que Claude sofre um acidente e precisa ficar em uma casa de repouso, os amigos resolvem visitá-lo e fugir com ele de lá. Surge então a ideia de todos viverem juntos na casa de Annie e Jean. Eles precisam enfrentar os problemas de saúde, Jeanne está com câncer, mas decide não contar ao marido, que por sua vez já está com a memória falhando por conta do Mal de Alzheimer. Além disso, também precisam lidar com as limitações naturais que chegam com a idade e com as diferenças, já que os cinco estão vivendo sob o mesmo teto.

Destoando do quinteto de idosos, surge no filme o jovem Dirk (Daniel Bruhl), um pesquisador alemão que acompanha de perto a vida dos cinco e resolve documentar tudo.

O filme traz a tona um retrato da velhice real e honesto, mas ao mesmo tempo leve, mostrando as condições físicas e mentais dos idosos, desmistificando algumas questões da terceira idade, como o sexo, o preconceito dos mais jovens com os idosos (vindo até mesmo da família), a solidão, a incompreensão dos familiares e as doenças.

Dirigido por Stéphane Robelin, o longa francês é uma comédia dramática que consegue tratar com leveza assuntos tão sérios e que merecem visibilidade. O filme não cai na mesmice das produções que tratam do mesmo assunto e que, no geral, apelam para o melodrama. Em “E se vivêssemos todos juntos?” você vai dar boas risadas, mas também vai se emocionar.

E se vivêssemos todos juntos? (Et si on vivait tous ensemble?, 2010, França) dirigido por Stéphane Robelin, com Jane Fonda, Pierre Richard, Geraldine Chaplin, Claude Rich, Guy Bedos, Daniel Bruhl, Gustave Kervern.

 3588
(0 votos)