Notícias

Grupo “Amigos do Coração” humaniza o atendimento de pacientes com doença coronariana no Hospital de São José dos Campos

Grupo “Amigos do Coração” humaniza o atendimento de pacientes com doença coronariana no Hospital de São José dos Campos

Iniciativa surgiu da parceria entre enfermagem e psicologia e já atendeu mais de 100 pacientes

Desde 2015, o grupo Amigos do Coração está humanizando o atendimento de pacientes que passam pelo tratamento coronariano no Hospital Municipal Dr. José de Carvalho Florence, unidade administrada em parceria com a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM).

O projeto surgiu a partir da parceria entre os setores de enfermagem e psicologia do hospital. O objetivo é atender pacientes que sofreram infarto agudo do miocárdio e/ou angina instável e que passarão por investigação e tratamento coronariano.

“Tendo em vista que os pacientes precisam de acompanhamento psicológico durante o tempo de internação, entre cinco e dez dias, e de orientações gerais da enfermagem para recuperação da saúde, assim como adesão a novos hábitos de vida, surgiu a ideia de reuni-los para trocarem experiências entre si. Desta forma, promovemos a interação entre os pacientes, auxiliando no processo de enfrentamento da internação”, explica Renata Mantovani, Coordenadora de Enfermagem do hospital.

As reuniões são realizadas preferencialmente às quintas-feiras e duram cerca de uma hora. Durante os encontros, os familiares dos pacientes também são convidados a participar, já que a presença da família é fundamental no processo de enfrentamento da doença e fortalece o doente na adesão do tratamento e mudanças necessárias de hábitos de vida.

Em 2016, 108 pacientes foram atendidos no grupo Amigos do Coração. Além de orientar quanto aos novos hábitos de vida, a abordagem trabalha os aspectos alimentares, processo de hospitalização, normas e rotinas da instituição. A realização do grupo também permite melhorias ao próprio modelo de atendimento hospitalar, colhendo sugestões dos pacientes atendidos.

“Os pacientes se sentem acolhidos e à vontade para conversar sobre as angústias do período de internação, conseguem compreender melhor a doença e enfrentam com mais entusiasmo o tratamento proposto. É um momento de interação, distração e conhecimento, pois eles também esclarecem dúvidas quanto aos procedimentos realizados”, afirma Renata.

 2588
(0 votos)
   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032