Notícias

Pronto atendimento de acupuntura do Hospital São Paulo atende mais de 20 mil pacientes por ano

Pronto atendimento de acupuntura do Hospital São Paulo atende mais de 20 mil pacientes por ano

O serviço de Pronto Atendimento de Acupuntura do Hospital São Paulo atende mais de 20 mil pacientes por ano, entre crianças e idosos.

O Hospital São Paulo foi criado no final da década de 1930 e, de lá para cá, cresceu em ritmo compatível com o da metrópole, vendo a demanda aumentar por conta do atendimento universal de qualidade. Os pacientes encontram todas as especialidades médicas, com vocação para procedimentos de alta complexidade. Mensalmente, são realizadas mais de 90 mil consultas, 2.600 internações, 1.600 cirurgias e cerca de 290 mil exames laboratoriais. Além do acesso a atendimento em todas as áreas médicas, as pessoas podem se beneficiar também do serviço de pronto-atendimento de acupuntura, inédito no ocidente, realizado pela equipe do Setor de Medicina Chinesa – Acupuntura do Departamento de Ortopedia e Traumatologia (DOT).

O Setor de Medicina Chinesa-Acupuntura foi criado em 1992 e em 1998 foi desenvolvido o pronto-atendimento de acupuntura, que atende, atualmente, de 60 a 80 pacientes, diariamente. Além do serviço assistencial, existe o programa de residência, parte didática para a disciplina eletiva de acupuntura, recebendo estagiários-residentes e acadêmicos de todo o Brasil.

Várias técnicas de acupuntura são utilizadas com o uso mínimo de pontos e com efeito imediato de analgesia clínica, através da técnica Sistema Yamamura de Acupuntura (SYA/EPM), criado e desenvolvido no Setor de Medicina Chinesa-Acupuntura da Escola Paulista de Medicina, pelo Prof. Dr. Ysao Yamamura.

O serviço de Pronto Atendimento de Acupuntura atendeu mais de 20 mil pacientes, no ano passado, entre crianças e idosos, com efeito significativo na mensuração da dor, entre o pré-tratamento e o pós-tratamento, com duração do efeito de 3 a 7 dias ou mais.

A maioria dos casos atendidos está relacionada a dores no sistema musculoesquelético como cervicalgia, lombalgia, ombralgia, hérnia de disco lombar e cervical, gonalgia plantalgia e outras dores, incluindo as algias viscerais como cefaleia, cólica menstrual, dor renal, dor biliar, dor abdominal, dor pélvica, causadas por estados emocionais de ansiedade, tristeza e raiva.

No Pronto Atendimento utiliza-se também as modificações realizadas no conceito de Meridianos Distintos e Curiosos com amplo efeito clínico, evidenciando grande componente emocional na gênese de dores e doenças do sistema musculoesquelético e de órgãos internos.

Gênese das Dores

Para melhor compreender as causas das dores e doenças, cabe ressaltar que a Medicina Tradicional Chinesaconstitui vasto campo de estudo, conhecimento e de concepção filosófica a respeito dos fatores causadores das doenças, e como tratá-las, conforme os estágios da evolução do processo de adoecer, levando-se em conta que a causa desse processo nada mais é do que o desequilíbrio da energia interna, induzido pelo meio ambiente ou pela alimentação desregrada, bem como pelas emoções retidas e fadigas de origem interna.

Dr. Ysao Yamamura explica que o diagnóstico, que deve ser feito apenas por médicos, segue etapas criteriosas com base na propedêutica – uma palavra pouco pronunciada no meio comum, mas de extrema valia em seu significado. Propedêutica é justamente o conjunto de procedimentos pelos quais um paciente é ouvido, examinado, evidenciando sinais e sintomas, com a finalidade de se chegar a uma hipótese diagnóstica. Saber ouvir e fazer as perguntas certas é uma arte que todos os médicos precisam praticar.

Ele explica que a coluna vertebral é a entrada, e por onde circula, a Energia Mental (Qi) e as emoções.  Portanto, o pensamento chinês – “Esperar ter sede para cavar um poço, pode ser muito tarde” – reflete toda a visão preventiva, sob todos os aspectos, principalmente na área da saúde. Com esse intuito, a Medicina Tradicional Chinesa aborda vários aspectos e condições de crescimento e desenvolvimento saudável do indivíduo até os casos extremos do processo de adoecimento, que muitas vezes, são acompanhados de anormalidades nos exames complementares e laboratoriais.

Sistema Yamamura de Acupuntura

A técnica Sistema Yamamura de Acupuntura, criada e desenvolvida pelo Prof. Dr. Ysao Yamamura, é composta de vários microssistemas, localizados em ossos longos no crânio, em pontos craniométricos como ptério, lambda, bregma, astério e nas suturas cranianas, na linha de implantação dos cabelos, no osso occipital, da patela e do osso esterno, além do sistema de trajetos musculares.

"O envolvimento das articulações C4-C5 e C5-C6 relacionadas, respectivamente, com Xin Bao Luo (Circulação-Sexo) e Xin (Coração), além de promover dor nas articulações correspondentes, pode ser a causa da dor cervical com irradiação craniana ou caudal pelas relações com níveis mais altos ou mais baixos dos nervos espinhais, causando dor nos dermátomos correspondentes como dor de garganta ou mesmo dor no membro superior, seguindo o curso do nervo C6 (eixo radial), explica Dr. Ysao".

Fatores que provocam estado de tristeza, desde a infância ou período intra-uterino, podem predispor à asma brônquica e, posteriormente, desenvolver bronquite crônica e enfisema pulmonar, enquanto que, tristezas causadas por eventos recentes como doença grave na família, podem ser a causa de dores no ombro, pois a pessoa que vive o problema se sente impotente diante da situação. Dr. Ysao esclarece que o sentimento de impotência se manifesta através do pensamento/emoção “Eu quero fazer algo para ajudar, mas não posso”.

Já os estados de raiva e revolta podem ser a causa de várias manifestações clínicas como dor de garganta, dor braquial, dor lombar, parestesia, dor na lateral do membro inferior, aperto no peito. Essas manifestações dependem do sentido que a mente dá às emoções de raiva ou revolta. Se é “Eu quero fazer, mas não posso”, pode ocorrer o aparecimento de dor no ombro e dor braquial ou dor nas articulações do membro superior. Se é “eu tenho que aturar isso”, pode manifestar-se como dor lombar.

O trabalho com as emoções tem se mostrado eficiente na cura de dores e doenças, como também tem revelado, entre tantas outras novidades, a origem de más formações em crianças. Graças às pesquisas e estudos que Dr. Ysao vem realizando, juntamente com sua equipe, ele explica que essas más formações podem ser causadas por emoções que as mulheres sentem, mesmo antes de saberem que estão grávidas. “Quando a mulher sabe que espera um bebê, ela toma mais cuidados, porém no período que vai da fecundação até ela saber que vai ser mãe, os cuidados não são os mesmos, e muitas não tomam cuidado algum”.

Ele relata que tem visto, com frequência, crianças com problemas de má formação, decorrentes do estado emocional de mulheres que enfrentam situações de sofrimento, conflito e estresse, em função de brigas com seus parceiros ou outras pessoas da família, que acabam por gerar sentimentos como raiva, revolta, medo, vontade de morrer. Quando esses sentimentos afloram no período em que o feto está em formação, antes mesmo do diagnóstico de gravidez, podem surgir malformação congênita do coração, da coluna vertebral e dos rins”.

Ele cita a asma e outros problemas que podem decorrer desse processo, como consequência das emoções vividas pela mulher em início de gestação. Ele e sua equipe vem coletando dados e estudando esses tipos de casos a fim de que os médicos do futuro aprendam sobre como evitar essas doenças, inclusive disponibilizando mais informações para as mulheres, e não apenas tentando curar doenças já estabelecidas.

Escola Paulista de Medicina na vanguarda da inovação

O setor de Acupuntura da Escola Paulista de Medicina conta com um laboratório de pesquisa, criado pelo Professor Laredo, como algo inédito no mundo ocidental. “Para criarmos o Pronto Atendimento de Acupuntura, o laboratório de pesquisa foi a base de estudos para mostrar a validade da Acupuntura, com inúmeros artigos e pesquisas publicadas e ampla repercussão no exterior, conferindo visão científica e aprovação pelo Conselho Federal de Medicina que em 1995 a reconheceu como Especialidade Médica”, conta Dr. Ysao.

Com essa iniciativa, os alunos de graduação em Medicina passaram a se interessar cada vez mais pela Acupuntura e acabaram por formar a Liga Acadêmica de Acupuntura – um núcleo acadêmico que trouxe sustentabilidade à Disciplina Eletiva de Acupuntura e recebe estudantes de todo o País.

Hoje existe Acupuntura em outras faculdades e hospitais, que embora sejam setores menores que o da Escola Paulista de Medicina, são também protagonistas dessa especialidade que não pára de crescer e de se desenvolver.

 Fonte: canalacupuntura.com.br

 2363
(1 Votar)
   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032