Notícias

Estudo conclui que comportamento suicida é maior entre usuários de drogas

Estudo conclui que comportamento suicida é maior entre usuários de drogas

As drogas podem servir de gatilho para pensamentos e comportamento suicida

O suicídio, segunda causa principal de morte entre os jovens e adultos de meia idade no mundo inteiro, tornou-se uma prioridade de saúde pública para a Organização Mundial da Saúde (OMS). Anualmente, cerca de 1 milhão de pessoas tiram a própria vida, no mundo inteiro, em especial nos países de baixo e médio rendimento, que concentram 75% dos casos.

Recentemente, o Departamento de Psiquiatria da EPM/Unifesp realizou uma análise dos dados do II Levantamento Nacional de Álcool e Drogas ( LENAD), a fim de investigar a prevalência de comportamento suicida, bem como sua associação com o uso de substâncias ilícitas, em uma amostra populacional representativa de todas regiões do País. Foram entrevistados 5.764 indivíduos, com mais de 14 anos de idade.

A análise demonstra não só que as prevalências de pensamento e tentativa de suicídio são significativamente maiores entre usuários de maconha e cocaína e, também, entre bebedores problemáticos, mas também identificou associações entre o consumo e pensamento e tentativa de suicídio. Usuários destas substâncias apresentam maiores riscos que a população geral de ter pensamentos suicidas e tentar suicídio. Tal associação ocorre independente do diagnóstico de depressão ou histórico familiar de suicídio. Usuários de cocaína, por exemplo, atentam quatro vezes mais contra a própria vida do que a população em geral. Já os usuários problemáticos de álcool têm duas vezes mais chances de pensar e tentar o suicídio, enquanto os usuários de maconha três vezes mais. A análise, que fez parte do doutorado defendido pela psiquiatra Renata Rigacci Abdalla, será publicada em um artigo científico aceito recentemente pela Revista Brasileira de Psiquiatria .

O suicídio é resultado da interação entre fatores biológicos, incluindo predisposição genética, com uma imensidade de variáveis ambientais e psicossociais. “Nossos dados mostram que o consumo de substâncias é um importante fator de risco para pensamentos e comportamento suicida”, explica a Profa Dra Clarice Sandi Madruga, coordenadora da pesquisa, lembrando que comportamento suicida inclui o suicídio consumado e a tentativa de suicídio, enquanto os pensamentos e planos suicidas são chamados ideação suicida.

Clarice ressalta que o resultado desse estudo deve incentivar a elaboração de estratégias de prevenção de suicídio entre a população usuária de substâncias em tratamento ou não. Destaca, ainda, que a prevenção do uso de substâncias pode, em última análise, ter também um impacto positivo na prevenção do suicídio.

 540
(0 votos)
   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032