Notícias

Em parceria com Secretaria de Educação, HMB oferece aulas para crianças internadas

Em parceria com Secretaria de Educação, HMB oferece aulas para  crianças internadas

As lições são feitas de acordo com a idade e a condição de cada paciente

No mês de junho, o Hospital Municipal de Barueri Dr. Francisco Moran, unidade da Prefeitura de Barueri gerenciada em parceria com a SPDM - Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, iniciou o projeto “Classe hospitalar”, que consiste em um atendimento pedagógico educacional para crianças, entre dois e 14 anos, que estão fazendo algum tipo de tratamento de saúde e precisam ficar internadas. 

Com metodologia interdisciplinar, a professora Lucinéia Lemos, pedagoga efetiva da Secretaria Municipal de Educação, propõe atividades especiais e exclusivas para cada criança de acordo com a idade e com o desenvolvimento pessoal. As aulas, realizadas de segunda a sexta-feira, são ministradas em uma sala no andar do setor de pediatria, com aparelho de som, jogos pedagógicos, tinta guache, giz de cera, além de materiais escolares como cadernos, lápis e borracha. Mas, as crianças que possuem qualquer limitação de locomoção recebem as aulas no conforto do próprio leito. 

“A nossa intenção é dar oportunidade para as crianças que estão internadas continuarem o estudo de educação básica fundamental. Mesmo que estejam no hospital, meu desejo é que elas estejam felizes e possam aprender por meio de atividades lúdicas”, explica a professora, que usa, por exemplo, a metodologia de contação de histórias para fazer diversas aplicações como contas, desenhos, interpretação de texto e redação. 

Como cada paciente tem um tempo de internação, não existe um cronograma pré-estabelecido, porém, visto que as aulas são oferecidas diariamente, todos têm oportunidade de aprender, independente do período de permanência no hospital. “A minha filha está na 5ª série e ainda não sabemos quanto tempo vai demorar a recuperação, depois da cirurgia. Então, essa classe já vai ajudar no aprendizado. Eu estou encantada! Ela estava até chorando de nervoso por causa da cirurgia e agora já dá pra perceber que o rostinho está bem diferente, porque ela se distrai e ainda aprende! É uma alegria para as crianças”, comenta Oziene Santos, mãe da Dryelle Ross, aluna da Classe hospitalar. 

As lições podem ser individuais ou em grupo de até três alunos com a mesma faixa etária. Ao final das atividades, o responsável receberá uma declaração de atividade com assinatura da pedagoga, acompanhada de um atestado médico, que garantem a justificativa de faltas na escola e demonstram que não houve uma interrupção de aprendizado durante o tempo no hospital. “A minha filha está aqui há nove dias e ela adora! Fica ansiosa para vir na sala e toda hora me pede para trazê-la! E a professora também é muito boa, tem muita paciência com as crianças! Vocês estão de parabéns”, relata Edvânia Ferreira, mãe de Mariana Fagundes, que considera o projeto uma forma de incentivo para as crianças e de tranquilidade para os pais. 

Assim como proporciona vínculo entre a escola, os alunos, a família e o hospital, as aulas também promovem a integração e a socialização dos pacientes, com oportunidade de humanizar o atendimento hospitalar. “Além de aprender, as crianças também gostam de sair do quarto, de caminhar até a sala, porque conseguem se distrair e ver algumas novidades no caminho”, ressalta a pedagoga. 

 

 340
(0 votos)
   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032