Imprimir esta página

Notícias

No mês do surdo, HMB realiza formatura da 3ª turma da oficina de Libras

No mês do surdo, HMB realiza formatura da 3ª turma da oficina de Libras

Iniciativa do RH visa capacitar colaboradores para atender deficientes auditivos

No mês em que se comemora o Dia Nacional do Surdo (26/09) e o Dia Internacional do Surdo (30/09), o Hospital Municipal de Barueri Dr. Francisco Moran (HMB), unidade da Prefeitura de Barueri gerenciada em parceria com a SPDM - Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, promove a formatura da terceira turma da oficina de Libras (Língua Brasileira de Sinais), com auxílio da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SDPD). 

Na última segunda-feira (09/09), nove colaboradores, de setores como ambulatório, compras, recursos humanos, medicina do trabalho e psicologia, receberam o certificado de conclusão da oficina de Libras. Com duração de quatro meses, as aulas foram ministradas pela instrutora  Flávia Bizzorezo, todas as segundas-feiras, entre 13h e 15h. Além de informações básicas da língua, o material de apoio, montado especialmente para a área da saúde, possui conteúdo sobre exames, procedimentos, sintomas e profissões. “O surdo está em todos os lugares, por isso é fundamental que a equipe da saúde também consiga se comunicar com ele. Se o paciente chegar com dor e o atendente não entender nada ou entender algum sintoma errado, ambos podem ser prejudicados”, ressalta Flávia.

Durante a comemoração, alguns formandos comentaram sobre a relevância do curso, visto que já puderam exercitar seus conhecimentos para atender deficientes auditivos no hospital. Como a recepcionista Katiane dos Santos que, logo no início da oficina, conseguiu atender um paciente surdo. “Ele chegou aqui muito nervoso, mas quando encontrou uma pessoa com intenção de ajudá-lo em sua própria língua, teve bastante paciência durante a interpretação”, relata Katiane. 

As psicólogas Nádia Azevedo e Natália Valério também conseguiram tranquilizar uma paciente e entender qual era a necessidade dela. “Com a oficina, nós entendemos a importância de acolher o paciente surdo. Às vezes, o pedido é super simples e faz diferença no atendimento. A moça que nós conversamos só queria tomar banho e ninguém entendia. Quando começamos a fazer os sinais, ela se acalmou e até parou de chorar”, explica Valério.

O projeto foi proposto pelos Recursos Humanos do HMB com objetivo de capacitar os funcionários para auxiliar a comunidade surda. "Nós pregamos e apoiamos a inclusão. E tão importante quanto contratar pessoas com deficiência, é ter condições para atendê-las. No caso dos surdos, como a linguagem é bem específica, é muito gratificante que nós tenhamos pessoas capacitadas para promover a comunicação entre a unidade e o paciente”, comenta Cíntia Rodrigues, analista de Gestão de Pessoas. 

No ano de 2018, cerca de 20 pessoas também participaram da oficina. A primeira turma se formou em maio e a segunda, em dezembro. O próximo grupo será formado no primeiro semestre de 2020 e para participar basta pedir autorização à chefia do setor e procurar pelo RH do HMB.

 564
(0 votos)