Imprimir esta página

Notícias

Centro de Saúde Mental da Vila Mariana inaugura serviço especial de prevenção ao suicídio

Centro de Saúde Mental da Vila Mariana inaugura serviço especial de prevenção ao suicídio

Nesta quinta-feira (10), Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, o Centro de Atenção Integrada à Saúde Mental (CAISM) da Vila Mariana, inaugura um serviço especial: o Centro de Promoção de Esperança e Prevenção ao Suicídio - Conversas de Vida. 

Composto por psiquiatras, psicólogos, neuropsicólogos, enfermeiros e assistentes sociais - profissionais já atuantes no CAISM e voluntários –, o serviço visa contribuir para a redução das taxas de suicídio por meio do atendimento de pessoas em risco, da capacitação para escolas e empresas e da realização pesquisas sobre o tema. A unidade é gerenciada pela SPDM - Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina em parceira com a Unifesp, por meio de um convênio tripartite com a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo.

A população atendida incluirá crianças, adolescentes, adultos e idosos que apresentem risco ou comportamento suicida. Todos os casos serão avaliados inicialmente em triagem por um psiquiatra, a fim de definir a melhor forma de tratamento e o planejamento terapêutico. 

CAISM 3 min

O Conversas de Vida funcionará de maneira integrada com o acolhimento do CAISM, com representantes nas unidades assistenciais e fluxo compartilhado para o manejo de risco de suicídio. De acordo com a gravidade do quadro, o paciente será direcionado para uma das quatro modalidades de atendimento: ambulatório, para a reabilitação psicossocial; Hospital Dia, para atendimento semi-intensivo; pronto-socorro, para abordagem de urgência ou emergência; e internação, para pacientes com transtorno mental em situação de crise que necessitam de cuidado em ambiente continuamente protegido. Além disso, o Conversas de Vida oferecerá serviços ambulatoriais específicos, às sextas-feiras, entre 13h e 18h, com agendamento prévio para pacientes que não estejam em situação de risco iminente.

“No mundo, ocorrem 800 mil mortes por suicídio ao ano, o que significa uma morte a cada quarenta segundos. E cada morte por suicídio é uma morte que poderia ser evitada. Nós acreditamos que todo o esforço deve ser feito para salvar essas vidas”, comenta o diretor clínico do CAISM e responsável pelo Centro de Prevenção ao Suicídio, Elson Asevedo. 

Como pacientes com comportamento suicida exigem um cuidado mais próximo, a assistência será realizada inicialmente com atendimentos presenciais. Após fluxo presencial bem estabelecido, a intenção é ofertar também a modalidade de telemedicina, minimizando a circulação e a propagação do novo coronavírus. 

A criação desse Centro especial, no cenário atual, visa contribuir para minimizar os impactos na saúde mental associados à  pandemia de COVID-19. “Isolamento, mudança de rotina, redução de acesso a tratamento, dificuldades econômicas, medo do adoecimento e da morte, experiências de adoecimento pessoal e óbito de pessoas próximas são alguns dos fatores que contribuem para que o sofrimento psíquico seja uma das consequências mais disseminadas e graves da pandemia”, comenta Asevedo.   

Para desenvolver uma tecnologia de cuidado de pacientes com comportamento suicida baseada nas melhores evidências científicas, o Conversas de Vida buscará trabalhar em conjunto com outras unidades de saúde, como Unidades Básicas de Saúde (UBSs), ambulatórios, prontos-socorros e hospitais.

 1915
(5 votos)