Notícias

No Dia dos Avós, HMB explica como manter a saúde mental dos idosos

No Dia dos Avós, HMB explica como manter a saúde mental dos idosos

Na hemodiálise, alternativas práticas como estimular a leitura e a pintura ajudam a diminuir sentimentos de ansiedade e depressão

Nesta segunda-feira (26/7) é celebrado o Dia dos Avós e o Hospital Municipal de Barueri Dr. Francisco Moran (HMB), unidade da Prefeitura de Barueri gerenciada em parceria com a SPDM - Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, aproveita a data para reforçar a importância dos cuidados com a saúde mental dos idosos, especialmente no cenário de pandemia.

Assim que a Covid-19 foi identificada, a recomendação das autoridades de saúde foi que as pessoas idosas, ou seja, com mais de 60 anos, deveriam ficar em completo isolamento social devido à maior possibilidade de contrair o novo coronavírus. E diante de poucas explicações e tantos fatores ainda desconhecidos, os idosos foram as primeiras pessoas a sofrerem com esse distanciamento social. Apesar de necessária, essa medida trouxe consequências para a saúde mental. “Cerca de 45% dos nossos pacientes da hemodiálise são idosos e pudemos identificar, logo no início da pandemia, muitos desses pacientes com sentimentos de tristeza, desânimo, falta de energia, pensamento negativo, falta de esperança, angústia, alteração de sono e apetite, falta de perspectiva, além de agravamento de quadro depressivo”, explica Dariane Batista, psicóloga responsável do setor.

Apesar de esses sentimentos serem esperados diante do impacto gerado pelo distanciamento social, a assistência especializada é essencial para avaliar a evolução do quadro. “Todos os pacientes da hemodiálise fazem acompanhamento psicológico de acordo com a necessidade apresentada. Alguns casos precisam de consultas mais de uma vez na semana, e outros, apenas a cada quinze dias. Esse acompanhamento permite elaborar o melhor recurso terapêutico para o paciente. Ou seja, é possível identificar se há necessidade de encaminhamento para o psiquiatra ou se o desenvolvimento de atividades prazerosas serão suficientes para amenizar esses sentimentos.

Algumas alternativas para manter ou resgatar a saúde mental são tarefas que ocupem o tempo livre dos idosos e também tenham alguma finalidade, por exemplo, praticar exercícios físicos, ter uma alimentação balanceada, praticar a leitura e a pintura e até mesmo plantar. “É importante buscar maneiras que façam o idoso se sentir útil em casa, como montar uma horta e deixá-lo responsável por cuidar diariamente dela. Além de incentivar o exercício da espiritualidade, já que alguns estudos apontam que quem tem pensamento positivo reage melhor às adversidades da vida, e hoje em dia, tem missas ou encontros online e cultos nas rádios”, comenta a psicóloga.

Vale lembrar que, na prática, todos os parentes podem contribuir para a saúde mental das pessoas mais velhas da família. É sempre importante reforçar os motivos necessários para o distanciamento, acolher os sentimentos de medo e angústia e observar quando é preciso pedir ajuda de um profissional.  “Precisamos compreender que esse isolamento social não precisa ser isolamento emocional. Os idosos podem receber contato humano por meio de telefonemas ou videochamadas, para reconhecer o acolhimento familiar, além de se sentir assistido e amado pela família”, finaliza Dariane. 

 325
(1 Votar)
   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032