Notícias sobre saúde

Temperaturas mais baixas aumentam riscos de infarto

Temperaturas mais baixas aumentam riscos de infarto

No frio, não ceda à preguiça. Cuide do seu coração

Com as temperaturas mais baixas a preguiça se instala, e adeus exercícios físicos. A dieta também fica prejudicada, já que alimentos mais calóricos trazem uma sensação imediata de bem-estar, de aquecimento. As variações de temperatura ao longo do dia são ainda grandes vilãs, uma vez que podem expor as pessoas ao frio intenso, quando pegas desprevenidas.

Entregar-se à preguiça é um erro e a consequência maior não é aquele resfriadinho que passa com chazinho e repouso. No frio, o risco de infarto aumenta significativamente, cerca de 30% dos casos, como indicam estudos.

“No frio, as artérias ficam mais resistentes e com diâmetro menor, aumentando a pressão arterial e entrando em vasoconstrição, diminuindo o fluxo sanguíneo e a oferta de oxigênio no organismo”, explica Pedro Duccini, cardiologista do Hospital Municipal Dr. José de Carvalho Florence, em São José dos Campos, unidade gerenciada pela Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM).

“Além disso, a viscosidade do sangue aumenta, o que aumenta também o risco de obstrução das artérias”, continua o cardiologista.

Esses dois fatores explicam, por exemplo, porque no frio as extremidades, como mão e pés, ficam mais frias e às vezes dormentes: como o coração trabalha mais, e o sangue está mais espesso, o sangue circulando com o oxigênio fica concentrado na parte central do corpo, dando prioridade aos órgãos vitais.

Além disso, as baixas temperaturas trazem o aumento da incidência dos processos inflamatórios de vias aéreas, gripes, resfriados, pneumonia, dores de garganta, entre outros.

“Todo mundo fica suscetível no frio, mas portadores de cardiopatias e doenças crônicas, mais especificamente bronquites, e idosos são os mais vulneráveis”, informa Duccini.

O cardiologista conta como se prevenir:

  • É imprescindível a realização regular de check-up. Uma relação de confiança com o cardiologista, com controle das cardiopatias, aumenta a qualidade de vida.
  • Evitar alimentos calóricos, para manter o controle de colesterol.
  • Manter a prática de exercícios, mas evitar os horários mais frios, que são de manhã e à noite.
  • Se agasalhar adequadamente, principalmente o peito e a gartanta.
 2847
(2 votos)
   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032