Notícias sobre saúde

Dieta desintoxicante? Nada disso! A palavra de ordem é moderação.

Dieta desintoxicante? Nada disso! A palavra de ordem é moderação.

Festas de fim de ano são marcadas por muitas gostosuras: ceias fartas, doces generosos, iguarias irrecusáveis. Excessos na comilança dessa temporada festiva são perdoáveis, e junto com o período de troca de presentes, vem sempre aquela sensação de inchaço, de que o abuso poderia – e deveria – ter sido evitado. É o que os quilinhos a mais indicam.

Quer evitar essa sensação? A única solução é maneirar. Pode comer de tudo, só não exagere. Mas, se não teve jeito, não resistiu aos apelos da mesa, tudo bem. Aproveite os dias seguintes para evitar comidas calóricas. “Abuse das saladas e beba bastante líquido, de preferência sucos naturais, mas sempre mantendo uma alimentação balanceada”, ensina Vanessa Marins Maniezo, nutricionista das Unidades Afiliadas da SPDM.

Não invente

“As dietas chamadas detox vêm ganhando popularidade ao prometer ‘limpar’ o organismo de toxinas e eliminar nutrientes que possam, de algum modo, fazer mal, mas esse tipo de dieta geralmente é restritiva e nunca é segura. A melhor forma de manter a saúde pela alimentação é consultar um nutricionista”, ensina Vanessa.

A alimentação saudável rotineira, composta por muitas frutas, legumes, verduras, proteínas, garante o equilíbrio e o bom funcionamento do organismo e permite – até – que excessos em comemorações como as festividades de natal e ano novo não causem danos.

Dicas da nutricionista

Para se proteger das consequências do exagero alimentar e dos perigos das dietas radicais, Vanessa Maniezo deixa aqui algumas dicas preciosas:

- Os principais sintomas de exageros alimentares são, além dos quilos a mais, dor de cabeça, desconforto abdominal, gases, cansaço e inchaço.
- Nunca faça dietas radicais, principalmente após períodos prolongados de comilança. Dietas restritivas podem colocar em risco o funcionamento do fígado, justamente o órgão responsável em expulsar as toxinas do organismo.
- Uma boa refeição deve ter carboidratos (pães, cereais, arroz e massas), proteínas (carnes, leite, ovos), hortaliças (verduras, legumes, ervas) e frutas, sempre em equilíbrio.
- Para cuidar bem do fígado, é sempre bom diminuir as frituras, muito ricas em gordura saturada que podem sobrecarregá-lo – se o fígado não funcionar bem, ele deixa de fazer sua função mais importante.
- Para preservar esse órgão vital, basta beber muita água e incluir sempre vegetais, frutas e legumes nas refeições, além de praticar atividades físicas regularmente, o que estimula o metabolismo da gordura acumulada.

 4381
(1 Votar)
   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032