Notícias sobre saúde

Especialistas alertam sobre consumo de chás e hidratação inadequada no inverno

Especialistas alertam sobre consumo de chás e hidratação inadequada no inverno

Falta de ingestão de líquidos, bem como o consumo excessivo de ervas em infusão podem causar prejuízos à saúde como intoxicação, cálculos renais e infecção urinária

Com a chegada das baixas temperaturas, o Hospital Estadual de Transplantes Euryclides de Jesus Zerbini, unidade do Governo do Estado de São Paulo gerenciada em parceria com a SPDM – Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, faz um alerta sobre os cuidados com a falta de hidratação e o excesso de chás durante o inverno. Hábitos inadequados podem impactar negativamente a saúde, com casos de intoxicação, infecção urinária e cálculos renais, por exemplo, segundo especialistas da unidade.

Durante o inverno, o consumo de bebidas quentes, incluindo as infusões com ervas, tem aumento significativo. Apesar de saboroso, o chá deve ser ingerido com moderação. De acordo com a especialista em Gastroenterologia, Hepatologia e coordenadora da equipe de transplante hepático, Carolina Pimentel, não há um limite seguro para o consumo de bebidas derivadas de ervas e plantas ditas medicinais. “Ao contrário do que a população imagina, alguns tipos de chás podem provocar graves intoxicações ao fígado independentemente da quantidade consumida. Por esse motivo, é preciso ficar atento às limitações de cada pessoa e a erva utilizada”, explica.

Segundo ela, diversos relatos de pacientes sugerem problemas causados por chás comuns como o verde, cáscara sagrada, cavalinha e até outros mais atípicos e que podem causar dano ainda maior ao fígado. A má informação no consumo pode levar a sérias complicações de saúde como inflamação e até perda do fígado, algumas vezes com necessidade de transplante.

Outro alerta para esta época do ano é a importância de uma hidratação adequada. “A falta de água é um dos principais fatores para a formação das chamadas ‘pedras’. No inverno, as pessoas tendem a tomar menos líquido. Assim, a urina fica concentrada, o que pode favorecer também a formação dos cálculos. Sucos naturais de limão, laranja, melão e melancia, assim como água de coco, ajudam a urinar bastante. Já os refrigerantes não contribuem para a prevenção”, explica o urologista e chefe do Setor de Endourologia e Cálculo Renal do hospital, Fábio Vicentini.

É recomendada a ingestão de pelo menos dois litros de água ou outros líquidos por dia. De acordo com Vicentini, além dos cálculos, a falta de hidratação adequada pode aumentar a chance de infecções urinárias. “Uma forma prática para verificar se você está hidratado ou não é a cor de sua urina. Se estiver amarelo bem claro, quase transparente, está bom. Amarelo forte significa que está faltando água no corpo e é preciso tomar mais”, conclui.

O Serviço de Urologia do hospital superou a marca de 24 mil procedimentos realizados para a retirada de cálculos renais nos últimos cinco anos. Anualmente, são aproximadamente 4.800 cirurgias nesta especialidade.

 538
(2 votos)
   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032