Notícias sobre saúde

Na semana em que se comemora o Dia Nacional do Doador de Sangue, a SPDM destaca a importância dessa atitude

Na semana em que se comemora o Dia Nacional do Doador de Sangue, a SPDM destaca a importância dessa atitude

A doação, que demora menos de uma hora, pode beneficiar pelo menos três pessoas

O Dia Nacional do Doador de Sangue (25/11) foi criado com objetivo de agradecer aos doadores de sangue e de sensibilizar a população sobre a relevância da doação. E para celebrar essa data, a SPDM – Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina explica o passo a passo para doar e reforça que essa ação pode beneficiar entre três e quatro pacientes. 

O processo total de doação, que demora em torno de 50 minutos, consiste em preenchimento de cadastro, teste de anemia, verificação de sinais vitais e peso, triagem clínica com entrevista confidencial e coleta de 450 ml de sangue. De acordo com o Ministério da Saúde, uma pessoa tem, em média, cinco litros de sangue e após a doação, o organismo repõe o volume de sangue dentro de 24 horas.

Para realizar a doação é preciso estar em boas condições de saúde; ter entre 16 e 69 anos - menores de idade precisam apresentar autorização assinada pelo responsável e maiores de 60 anos já devem ter feito uma doação anterior; pesar no mínimo 50 kg; ter dormido pelo menos seis horas; estar alimentado e apresentar documento original com foto recente na hora da doação. 

Os requisitos para doação, que visam o bem-estar do doador, são simples e viáveis, mas os brasileiros não têm essa atitude rotineiramente. “O sangue é insubstituível e menos de 2% da população brasileira é doadora. O nosso país não tem catástrofes naturais, como terremotos e tsunamis, e também não é cenário de guerra, por isso, as pessoas não entendem a importância de doar sangue. É necessário que se crie uma cultura de educação sobre a doação. É preciso ensinar para o adolescente com 16 anos que ele já pode ajudar outras pessoas”, explica Marcelo de Freitas, médico responsável pelo Banco de Sangue do Hospital Municipal de Barueri, unidade gerenciada pela SPDM.

Só o HMB realiza, por mês, cerca de 300 transfusões, que é o procedimento de transferência de hemocomponentes de um doador para um receptor. “O sangue é dividido em hemocomponentes: hemácias, plaquetas e plasma. E o plasma também pode ser separado em crioprecipitado. Por isso, falamos que uma doação pode beneficiar de três e a quatro pessoas. Cada parte do sangue é destinada para uma necessidade específica do paciente”, explica Marcelo, que reforça que é preciso ter sensibilidade para ser doador, para doar constantemente e não apenas em períodos de campanha ou quando algum parente estiver hospitalizado.

No caso do HMB, o Banco de Sangue da unidade está localizado no piso térreo do hospital e funciona de segunda a sexta-feira, entre 8h e 16h. Para esclarecimentos, entre em contato pelo telefone (11) 2575-3375 ou compareça no endereço Rua Ângela Mirela, 354 – Vila Dom José, Barueri. Em relação às dúvidas sobre condições para doação, é possível consultar a relação de impeditivos em http://www.prosangue.sp.gov.br/artigos/quem_nao_pode_doar.html

 171
(0 votos)