Notícias sobre saúde

Regra das “nove colheres” ajuda na prevenção do câncer mais frequente do Brasil – o de pele, alerta especialista

Regra das “nove colheres” ajuda na prevenção do câncer mais frequente do Brasil – o de pele, alerta especialista

Medida simples, com o uso de protetor solar, diminui o risco de incidência da doença

O Dezembro Laranja, mês de combate ao câncer de pele, foi criado para chamar a atenção da população sobre os sinais deste que é o tipo de câncer mais frequente no Brasil. Pensando nisso, o Hospital Municipal de Barueri Dr. Francisco Moran (HMB), unidade da Prefeitura de Barueri gerenciada em parceria com a SPDM - Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, elenca os principais sintomas como forma de alerta e dá algumas dicas de prevenção. Dentre elas, está a regra das “nove colheres”, uma medida simples, porém, que poucos ouviram falar.  

Pessoas que têm muitas pintas pelo corpo, com pele e os olhos claros, que ficam expostas de forma excessiva ao sol, que fazem uso de imunossupressores ou possuem histórico familiar de câncer melanoma são consideradas mais propensas para desenvolver o câncer de pele. “Uma ferida que sangra, não cicatriza e coça precisa ser avaliada porque pode ser um câncer de pele. No caso do melanoma, nós usamos a avaliação ABDCE: assimetria, borda irregular, coloração com várias pigmentações, diâmetro acima de 6mm e evolução (mudanças). Se essas características forem identificadas é super importante não postergar a ida ao médico”, esclarece Thais Garcia, dermatologista do hospital.

“Nós vivemos em um país tropical, litorâneo, e na década de 70 e 80 não existia essa consciência de proteção contra o sol. Ter uma aparência saudável era estar com a pele bronzeada. E agora estamos colhendo as consequências disso, com um índice elevado de câncer de pele. Mas, é importante destacar que o diagnóstico precoce é fundamental, porque a chance de cura chega a 90%”, esclarece a dermatologista. 

Regra nas nove colheres: você conhece?

Evitar a exposição excessiva ao sol, principalmente entre 10h e 16h, e proteger a pele dos efeitos da radiação Ultravioleta, inclusive em câmaras de bronzeamento artificial, são as melhores estratégias para prevenir o câncer de pele. Além disso, a dermatologista também recomenda o uso de chapéus com abas largas, camisetas, óculos escuros e protetores solares. “O protetor solar deve ser usado religiosamente, como usar sabonete, creme dental. Precisa ser diário e sempre com preferência para fator acima de 30, mesmo em dias nublados. Para quem ficar exposto diretamente ao sol, como em praias e piscinas, nós usamos a regra das nove colheres de chá de protetor: uma para rosto e pescoço, duas para o torso, duas para os braços e quatro para pernas. E a reaplicação deve ser feita a cada três horas”, comenta Garcia.

Além disso, a recomendação é passar em consulta com o dermatologista pelo menos uma vez ao ano para fazer uma avaliação, já que o câncer de pele também pode passar despercebido em regiões como na mucosa da boca, nos olhos, nas palmas das mãos e nas plantas dos pés, e apenas o médico é capaz de fazer o diagnóstico correto para indicar o tratamento mais adequado.

De acordo com Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de pele pode ser dividido em dois grupos: melanoma e não-melanoma. O tipo não-melanoma corresponde a cerca de 30% de todos os tumores malignos no país, mas apresenta grande chance de cura quando detectado precocemente. Já o melanoma, que representa 3%, é o considerado o mais grave devido à uma possibilidade maior de metástase, que é quando o câncer se espalha por outros órgãos. A última estimativa do INCA, feita para 2018 e 2019, aponta mais de 170 mil novos casos de câncer de pele por ano.

O HMB realiza mensalmente cerca de 120 procedimentos cirúrgicos de câncer de pele, que consistem na remoção da lesão para análise laboratorial a fim de confirmar o diagnóstico. Dependendo do tipo de câncer, há necessidade de ampliar a intervenção na área afetada pelo tumor.

 434
(0 votos)
   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032