Notícias sobre saúde

PPP de R$ 2,3 bi promete impulsionar indústria farmacêutica

Mais de 90 medicamentos a serem produzidos, R$ 130 milhões de investimentos em apenas cinco anos, geração de centenas de empregos e incremento tecnológico. O saldo caracteriza a expectativa de uma união inovadora realizada entre o maior laboratório farmacêutico brasileiro, a EMS, e a Fundação para o Remédio Popular (Furp), por meio de uma Parceria Público Privada (PPP) com o objetivo de gerir, produzir e desenvolver novos produtos.

A parceria previu que a EMS criasse uma nova empresa, a organização intitulada Concessionária Paulista de Medicamentos (CPM), que responderá pela gestão de uma fábrica que será inaugurada na cidade de Américo Brasiliense em até dois anos. A CPM e a Furp definirão um cronograma para a obtenção dos registros dos medicamentos, estimados em mais de um bilhão de unidades farmacotécnicas produzidas anualmente. O valor estimado do contrato está em torno de R$ 2,3 bilhões para 15 anos.

A EMS foi a única a apresentar proposta na concorrência, que previa como vencedor aquele que oferecesse o maior desconto sobre o valor da lista básica de medicamentos, que já conta com o chamado preço máximo de venda ao governo. Com a EMS conduzindo o projeto, a ideia é desafogar a Furp para outras iniciativas. “Com a PPP será ampliada a lista de medicamentos oferecidos à população”, ressalta o superintendente da FURP, Flávio Vormittag.

A FURP
Assinado no dia 23 de agosto deste ano, o contrato entre FURP e EMS prevê mais de 96 remédios destinados ao Sistema Único de Saúde (SUS). O superintendente da Fundação, Flávio Vormittag, diz que a ideia da parceria é proporcionar mais eficiência e aumentar a capacidade de inovar. “A fábrica será mais competitiva e ,devido à transferência de tecnologia, será a indústria farmacêutica com a maior lista de produtos genéricos do Brasil”.

A expectativa é de que a fábrica, que deve estar pronta até o fim de 2015, produza remédios para importantes tratamentos como Alzheimer, AVC e deficiência auditiva.

“A gestão seguirá padrões de uma indústria privada, mas com parâmetros de qualidade e desempenhos definidos pela Furp”, revela presidente da Concessionária Paulista de Medicamentos, Jorge Coelho.

A Fundação para o Remédio Popular “Chopin Tavares de Lima” é o laboratório farmacêutico de São Paulo (SP) ligado à Secretaria Estadual de Saúde e o maior fabricante público de medicamentos do País. Tem duas unidades, uma em Guarulhos (Grande São Paulo) e outra na cidade de Américo Brasiliense (SP), trabalha com mais de 70 medicamentos, entre antibióticos, antirretrovirais, anti-hipertensivos, dermatológicos, diuréticos, para transplantados e para o controle da diabetes. A fundação atua em mais de três mil cidades brasileiras e entre os milhares de clientes cadastrados estão secretarias de saúde, hospitais públicos, prefeituras e fundações.

A EMS
A empresa criou a CPM para gerir a produção, o desenvolvimento e a obtenção dos registros. Também será ela que investirá no parque fabril e na venda de medicamentos à Furp. A companhia avalia como relevante o negócio pela possibilidade de desenvolvimento de genéricos. “É um projeto inovador para a EMS, o que reafirma a posição de pioneirismo. Além disso, enquadra-se na missão e perfil estratégico”, diz o presidente Concessionária Paulista de Medicamentos, Jorge Coelho. A expectativa contratada de compras para os próximos 15 anos é de, no mínimo, R$ 200 milhões por ano, segundo o Edital.

Com o projeto, a ideia é que a EMS consolide a posição e se firme também entre o público consumidor como uma empresa produtora e desenvolvedora de genéricos no País. A ideia é bem fundamentada. As vendas de medicamentos genéricos atingiram 373,2 milhões de unidades no primeiro semestre de 2013, aumento de 16% sobre o mesmo período do ano passado, contra os 11% do mercado total do setor. Apesar do incremento, o segmento de genéricos tem pouco mais de 27% do bolo.

A EMS foi fundada há quase meio século, e hoje tem dois complexos industriais, um em São Bernardo do Campo e o outro em Hortolândia, no estado de São Paulo. A unidade de Hortolândia é reconhecida pela modernidade das instalações e é nesta cidade que está o centro de pesquisa e desenvolvimento. São parte do grupo EMS as empresas: EMS, Legrand, Sigma Pharma, Germed e Topz Nature’s, atuando nos segmentos farma, prescrição médica, genéricos, OTC (medicamentos isentos de prescrição médica) produtos de higiene pessoal, pesquisa, entre outros. Os produtos são comercializados no Brasil e exportados para mais de 30 países.

Fonte: Saúde Web

 116647
(0 votos)
   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032