MATÉRIAS

José Luiz Gomes do Amaral, vice-presidente da SPDM, toma posse como presidente da Associação Médica Mundial

No dia 14 de outubro de 2011, durante assembleia geral da Associação Médica Mundial, em Montevidéu, no Uruguai, o dr. José Luiz Gomes do Amaral, vice-presidente da SPDM – Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, foi empossado presidente da Associação Médica Mundial para a gestão 2011/2012.

Eleito por aclamação em outubro de 2010, na Assembleia de Vancouver, no Canadá, Amaral é o terceiro brasileiro a assumir o principal cargo da entidade, que congrega mais de 9 milhões de médicos, reunidos nas 97 associações médicas que integram a instituição.

Nascido na cidade de São Paulo, José Luiz Gomes do Amaral graduou-se, em 1976, no curso de medicina pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Concluiu, na mesma instituição, a especialização em anestesiologia, o mestrado e o doutorado. Além disso, especializou-se em medicina intensiva pela Universidade Louis Pasteur de Estrasburgo (França), em 1984. É professor titular da Escola Paulista de Medicina – Unifesp, foi vice-presidente e presidente da Associação Paulista de Medicina, entre 1995 e 2005, e presidente da Associação Médica Brasileira nas gestões 2005-2008 e 2008-2011.

 
 
   

SPDM entre as maiores da revista Valor 1000

A edição 2011 da revista Valor 1000 colocou mais uma vez a SPDM – Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina no ranking das maiores empresas brasileiras. A instituição aparece na publicação (págs. 19, 128, 366 e 424) com o nome de sua matriz, o Hospital São Paulo; entretanto, os dados utilizados são do balanço de toda a SPDM.

Na página 19, aparece na relação das maiores e das campeãs (as companhias que ocupam o primeiro lugar por receita e as de melhor desempenho nos 25 setores da economia), como a maior no setor de serviços médicos. Em 2010, a SPDM obteve o maior volume de receitas entre todas as empresas classificadas nesse setor, repetindo o feito do ano anterior.
 
 
Na página 128, no ranking das mil maiores empresas do país, a SPDM aparece na posição de número 210 (203 no ano anterior), resultado alcançado em decorrência de sua receita líquida.

Ainda no setor de serviços médicos (página 366) – desta vez observando fatores como receita líquida, crescimento sustentável, geração de valor, e rentabilidade, entre outros –, a SPDM obteve a terceira colocação, com 56 pontos, enquanto a média das dez primeiras colocadas foi de 45 pontos. Já na análise regional (página 424), a SPDM está entre as 50 maiores companhias da Região Sudeste do Brasil.

"Tais dados confirmam a manutenção da SPDM entre as principais instituições de saúde de São Paulo e do país, tanto na magnitude como no desempenho sustentável, e reforçam a responsabilidade de manter e aprimorar os resultados obtidos, principalmente considerando a predominante ação da SPDM na prestação de serviços aos diferentes níveis do Sistema Único de Saúde (SUS)”, analisa o dr. Carlos Alberto Garcia Oliva, superintendente financeiro da SPDM.
   

Primeiro curso gratuito e online de prevenção de drogas para pais

Foi lançado no Brasil o primeiro curso gratuito e online para ajudar os pais na prevenção e no combate ao uso de drogas, problema que aflige famílias do mundo inteiro. No site www.paisconectados.org, é possível encontrar informações sobre tipos de drogas, reações, como saber se o filho usa, onde procurar ajuda e, principalmente, como prevenir o problema.

“O objetivo da ferramenta é organizar informações baseadas em pesquisas internacionais sobre quais seriam as melhores atitudes e comportamentos tanto para evitar que crianças e adolescentes iniciem o uso de substâncias psicoativas como para lidar com o problema já instalado”, explica o psiquiatra Ronaldo Laranjeira, responsável pela iniciativa, alertando que a faixa de maior risco de início do consumo se situa entre os 16 e os 18 anos – idade da experimentação, da curiosidade e das influências.

O site Pais Conectados é uma fonte de informação confiável que tem o respaldo do Conselho Nacional de Pesquisa, com apoio do CNPq, da Unifesp e da SPDM – Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina. Além da disponibilidade das informações em tempo integral, a ferramenta garante total privacidade. No “Fale com o especialista”, por exemplo, os pais terão condições de tirar todas as suas dúvidas, que serão respondidas por um profissional da área, via e-mail.

Na opinião do dr. Ronaldo Laranjeira, a família é a linha de frente da prevenção. “Quanto mais conhecimento os pais tiverem, maiores serão as chances de uma prevenção adequada.” Na realidade, segundo ele, as famílias recebem muitas informações, porém nem sempre fidedignas. “Isso faz com que as pessoas fiquem preocupadas e não necessariamente mais iluminadas sobre o que fazer.”

O site também é recomendado para as escolas. “Em lugar de oferecer apenas palestras para os pais, os professores podem recomendar que eles acessem o site em busca de orientação.”
 
 

Instituições gerenciadas pela SPDM recebem Prêmio Amigo do Meio Ambiente

Os hospitais Geral de Pirajussara, Estadual de Diadema e Luzia de Pinho Melo, além do Ambulatório de Especialidades (AME) de São José dos Campos, gerenciados pela SPDM, receberam o Prêmio Amigo do Meio Ambiente 2011, durante a quarta edição do Seminário Hospitais Saudáveis. “Esse prêmio reconhece o trabalho que realizamos há muitos anos em prol da preservação do meio ambiente”, diz o dr. Nacime Salomão Mansur, superintendente da Rede de Unidades Afiliadas SPDM.

O Prêmio Amigo do Meio Ambiente, uma iniciativa da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo, é concedido a instituições que desenvolvem projetos de sustentabilidade ambiental, como a implantação de medidas efetivas de preservação dos recursos naturais.

PROJETOS

Hospital Geral de Pirajussara

Reciclagem de Películas de Raios X

Hospital Estadual de Diadema
Redução de Resíduos Infectantes no Centro Cirúrgico, no Centro Obstétrico e na Unidade de Cirurgia Ambulatorial (UCA)

Hospital de Clínicas Luzia de Pinho Melo
Ações relacionadas ao gerenciamento de resíduos visando a melhorias na coleta seletiva, com aumento de 10% na geração de resíduos recicláveis

AME São José dos Campos
Gerenciamento de resíduos do serviço de radiologia
 
   

PABSF/SPDM em franca expansão

O Programa de Atenção Básica e Saúde da Família (PABSF) da SPDM está em franca expansão. Desde 2001, quando iniciou suas atividades na cidade de São Paulo, se estendeu para os municípios de Mauá, Diadema, Barueri, Campos do Jordão, Lorena, São Sebastião, Caraguatatuba, Suzano, Peruíbe, Americana e Rio de Janeiro.

O crescimento do programa, segundo o dr. Mário Monteiro, superintendente do PABSF, se deve a uma matemática simples: 85% da população precisa de atenção primária para ter qualidade de vida. "São ações de educação, prevenção, tratamento e promoção da saúde."

Só em São Paulo, o PABSF é responsável pela gestão de diversos programas e equipamentos de saúde, entre os quais 63 AMAs e 250 equipes de Saúde da Família, com cerca de 1.900 médicos contratados. Também merece destaque o trabalho desenvolvido no Rio de Janeiro e em Americana.

No município do Rio de Janeiro, o PABSF atua em duas regiões. Na área 5.3, localizada numa região carente, que compreende os municípios de Sepetiba, Santa Cruz e Paciência, as 90 equipes de Saúde da Família previstas estão em campo, assim como está em pleno funcionamento a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) João XXIII, com atendimento a cerca de 300 pacientes/dia. Na área 3.2, localizada no Meyer, um terço das 80 equipes de Saúde da Família previstas também já foram implantadas. “Até o final do ano, serão implantadas duas novas UPAs na área 5.3 – uma em Sepetiba e outra em Paciência”, adianta o superintendente.

Em Americana, cidade do interior de São Paulo com 200 mil habitantes, o contrato com a prefeitura local prevê a gestão da SPDM em seis equipamentos de saúde, com expectativa de atendimento a cerca de 300 pacientes/dia e contratação de 519 colaboradores, entre médicos, enfermeiros, farmacêuticos, técnicos e profissionais administrativos. São cinco unidades de Programa de Atendimento Imediato (PAI) – já estão em funcionamento Zanaga, Gramado e Mathiensen, que possui também o atendimento no modelo tradicional de Unidade Básica de Saúde (UBS) –, além de um núcleo de especialidades e uma UPA. Nos dois primeiros meses de funcionamento dos PAIs Gramado e Zanaga, foram atendidas mais de 17.500 pessoas, conta o dr. Mário Monteiro.
   

A EPM na Academia Nacional de Medicina

Neste mês de outubro, o professor José Osmar Medina Pestana foi eleito membro titular da Academia Nacional de Medicina. Fundada em 1829, sob o império de Dom Pedro I, a Academia Nacional de Medicina é a mais antiga instituição médica no Brasil. Sua sede é no Rio de Janeiro e, neste período de 162 anos, pouco mais de 640 acadêmicos ocuparam suas 100 cadeiras. O prof. Medina ocupa a cadeira de número 50, preenchendo a vaga do prof. Aloisio Prata.

O falecido professor Oswaldo Ramos foi o primeiro epemista a se tornar membro titular da Academia, e agora o professor Medina também representa a Escola Paulista de Medicina (EPM) e a Unifesp, ao lado dos professores Nestor Schor e Rubens Belfort Mattos Jr.
 
Dr. José Luis Gomes do Amaral, vice-presidente da SPDM e presidente da Associação Médica Mundial, dr. José Osmar Medina de Abreu Pestana, professor titular da Escola Paulista de Medicina e diretor-superintendente do Hospital do Rim e Hipertensão , e dr. Rubens Belfort Jr., professor titular de oftalmologia da EPM/UNIFESP e presidente da SPDM
   

SPDM lança guia prático para cuidadores informais

A alta hospitalar representa, para muitos, o alívio de ter novamente em casa um ente querido. Mas, quando esse familiar necessita de cuidados especiais, muitas vezes a sensação de alívio dá lugar à insegurança de não oferecer o mesmo padrão de tratamento de um hospital. Pensando nisso, a equipe multidisciplinar do Hospital Pirajussara reuniu diversos ensinamentos sobre a arte de cuidar em um guia prático e repleto de ilustrações: “Além da boa vontade e dos estímulos naturais, é importante que a pessoa esteja munida de conhecimentos técnicos básicos para a tarefa, com melhor entendimento sobre as necessidades, dificuldades e características dos problemas que acometem o paciente”, conta o dr. Nacime Mansur, superintendente das Unidades Afiliadas da SPDM.

O guia surgiu da necessidade de documentar as orientações técnicas reunidas no Cuidando do Cuidador, encontro semanal que, desde 2007, reúne cuidadores, familiares e profissionais de saúde no Hospital Geral de Pirajussara. Organizado de maneira simples, o guia está dividido por temas, o que facilita a busca em caso de possíveis dúvidas, e traz informações úteis para a saúde e o bem-estar não só dos pacientes, mas também dos cuidadores.

O manual pode ser acessado no site da SPDM – www.spdm.org.br – ou obtido gratuitamente nos postos da Secretaria Municipal de Saúde.
 
 
   

Oftalmologia/SPDM promove curso de ceratocone

No dia 1º de outubro, foi realizado no Hospital de Transplantes do Estado de São Paulo (antigo Hospital Brigadeiro), administrado pela SPDM, o curso “Estado da arte no tratamento do ceratocone”, que envolveu residentes e oftalmologistas. O curso discutiu ceratocones, com ênfase em aspectos epidemiológicos, diagnósticos e terapêuticos, com a participação de docentes de várias instituições.

 
Dr. Rubens Belfort Jr., presidente da SPDM, professor titular de oftalmologia da EPM/UNIFESP, dra. Vera Mascaro, chefe da Oftalmologia do Hospital de Transplantes SP(SPDM), dra. Ana Maria Petrilli, chefe da Oftalmologia do Hospital de Clínicas Luzia de Pinho Melo (SPDM), dra. Marta Sartori, chefe da Oftalmologia do Hospital Municipal Quarteirão da Saúde (SPDM), e Dr. Cesar Lipener, do Departamento de Oftalmologia da Escola Paulista de Medicina-Hospital São Paulo (EPM)/Unifesp.
 
“Esse grupo de instituições em oftalmologia – Hospital São Paulo/Escola Paulista de Medicina/Unifesp (chefe: dra. Denise de Freitas); Hospital de Transplantes SP (chefe: dra. Vera Mascaro); Hospital de Clínicas Luzia de Pinho Melo, em Mogi das Cruzes (chefe: dra. Ana Maria Petrilli); Hospital Municipal Quarteirão da Saúde, em Diadema (chefe: dra. Marta Sartori), bem como as clínicas oftalmológicas do Hospital Geral de Pirajussara (chefe: dr. Marcelo Montenegro) e do Hospital Municipal de Barueri (chefe: dr. Gustavo Henrique Araújo Salomão) – integra uma grande rede acadêmica assistencial, criada com o objetivo de maximizar resultados com economia racional, tanto nos aspectos didáticos quanto nos assistenciais. Em relação ao ensino, os residentes das diferentes instituições frequentam o curso de ciências básicas de oftalmologia e também os grand rounds semanais da EPM/HSP. Nos últimos meses, muitas cirurgias foram realizadas no Hospital de Transplantes, em sistema de mutirão, com a presença do corpo clínico das diferentes instituições, atendendo com grande eficiência um número muito maior de procedimentos cirúrgicos. Também é tendência todos participarem ativamente dos programas de pós-graduação, mestrado e doutorado, bem como de ensaios clínicos e outras pesquisas”, explica o dr. Rubens Belfort Jr., presidente da SPDM e professor titular de oftalmologia da EPM/Unifesp.
   

Vice-presidente da SPDM é homenageado pela Câmara Municipal de São Paulo

No Dia do Médico, 18 de outubro, por iniciativa do vereador Gilberto Natalini, a Câmara Municipal de São Paulo homenageou o dr. José Luiz Gomes do Amaral, vice-presidente da SPDM – Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina e presidente da Associação Médica Mundial, com a Medalha Anchieta e o Diploma de Gratidão da Cidade de São Paulo.

A Medalha Anchieta foi instituída em setembro de 1969. Assim como o Diploma de Gratidão, é entregue a personalidades que, por meio de sua trajetória, tenham conquistado a admiração e o respeito do povo paulistano. Várias personalidades importantes já receberam tais honrarias, entre elas o dr. Rubens Belfort Jr. – presidente da SPDM –, o jurista Miguel Reale, o cientista Milton Santos e o empresário Horácio Lafer Piva.

 
   

Evidências Práticas para a Vida Real

A partir desta edição, o boletim Notícias da SPDM traz uma novidade. Trata-se da seção Evidências Práticas para a Vida Real, versão reduzida e simplificada de materiais produzidos pela Cochrane do Brasil, com base em um de seus milhares de estudos. O artigo de estreia aborda a importância da suplementação de cálcio na gestação, com o objetivo de evitar riscos para a gestante e para o feto.

A Cochrane – parceira da SPDM em diversos projetos – é uma organização não governamental sem fins lucrativos e sem fontes de financiamento internacionais, e tem por objetivo contribuir para o aprimoramento da tomada de decisões em saúde, com base nas melhores informações disponíveis. Além da economia, o principal objetivo das revisões é melhorar o conhecimento científico, em prol da população. É consultora da OMS e membro da Assembleia Mundial da Saúde.


EVIDÊNCIAS PRÁTICAS PARA A VIDA REAL
Suplementação de cálcio na gestação é efetivo para a prevenção de pressão alta relacionada à gravidez e a suas complicações

 
 
Resumo
 
 
A suplementação de cálcio durante a gestação ajuda a prevenir a pressão arterial alta da gravidez e suas graves complicações – pré-eclâmpsia, nascimento prematuro e morte materna. A pré-eclâmpsia é um problema grave, marcado pela elevação da pressão arterial, que pode acontecer a qualquer momento na segunda metade da gravidez, ou seja, a partir de 20 semanas, mas é mais comum a partir de 27 semanas de gestação, e representa uma das principais causas de morte em mulheres grávidas e recém-nascidos em todo o mundo. O parto prematuro (nascimento antes de 37 semanas) é frequentemente causado por pressão alta e é a principal causa de morte de recém-nascidos, particularmente em países de baixa renda. A revisão de 13 estudos, envolvendo 15.730 mulheres, constatou que a suplementação de cálcio durante a gravidez é um meio seguro e barato de reduzir o risco de pré-eclâmpsia, principalmente naquelas mulheres de comunidades com baixo cálcio na dieta. As mulheres também estiveram menos propensas a morrer ou ter sérios problemas devido à pré-eclâmpsia. Os bebês estiveram menos propensos a nascer prematuros. Nenhum efeito adverso foi encontrado.
 
 
Referência
 
 
 
Hofmeyr G. Justus, Lawrie Theresa A., Atallah Álvaro N., Duley Lelia. Calcium supplementation during pregnancy for preventing hypertensive disorders and related problems. Cochrane Database of Systematic Reviews. In: The Cochrane Library, Issue 8, Art. N. CD001059. DOI: 10.1002/14651858.CD001059.pub3. Esta revisão incluiu 13 estudos com 15.730 participantes.
 
   

Parceria promove excelência da cooperação internacional da oftalmologia da EPM-HSP

Desde a década de 1950, a Escola Paulista de Medicina mantém intenso intercâmbio com a Johns Hopkins University no setor de oftalmologia. Dois antigos professores – Alan Woods e Edward Maumenee – estiveram várias vezes no Departamento de Oftalmologia da EPM/Unifesp e, assim como o atual chairman Peter J. McDonnell, receberam a Medalha Moacyr Álvaro, a mais importante medalha latino-americana de oftalmologia.

Em setembro de 2011, aconteceu nova visita do dr. McDonnell, que proferiu conferências e discutiu projetos de pesquisa a ser realizados entre as duas instituições. Na ocasião, também estava presente o dr. William May, da University of Southern California, cujo centro de oftalmologia, o Doheny Eye Institute, também é nosso tradicional parceiro. O evento foi organizado pelos professores Mauro Campos, Denise de Freitas, Seiji Hayashi e Rubens Belfort Jr.

Graças a essas parcerias, foi formada a Associação Brasileira Americana de Oftalmologia (American Brazilian Ophthalmology Association – Aboa), com intercâmbio de fellows brasileiros e das duas universidades na área de oftalmologia. Nos últimos anos, mais de 20 integrantes da oftalmologia e da pós-graduação da Escola Paulista de Medicina tiveram oportunidade de estagiar nos dois centros de excelência, assim como vários deles passaram pelo nosso departamento e programa de PG, contribuindo em atividades de pesquisa e pós-graduação.

A associação também tem a finalidade de manter o intercâmbio entre o Brasil e os Estados Unidos para jovens estudantes de oftalmologia e ciências da visão, com o objetivo de manter o mais alto padrão da nossa medicina.

 
Dr. Mauro Campos, coordenador da pós-graduação do Departamento de Oftalmologia da EPM/Unifesp, dr. Peter J. McDonnell, chairman da Johns Hopkins University, dr. Rubens Belfort Jr., presidente da SPDM, dra. Denise de Freitas, chefe do Departamento de Oftalmologia da EPM/Unifesp, dr. William May, da University of Southern California.
   

Projeto de Humanização transforma o ambiente do Hospital São Paulo

Quem circula pelos corredores do Hospital São Paulo nas tardes de quarta-feira se depara com um visitante inusitado: Joe Spencer Wood Gold, um cão da raça Golden Retriver de 7 anos de idade e temperamento extremamente dócil e amistoso. O cenário pode parecer pouco favorável para a presença de um animal, e quem ainda não o conhece pode pensar que ele está no lugar errado. Mas Joe é um cão terapeuta do Projeto Amicão, inclusive com direito a crachá de voluntário.

Segundo a professora Isabel Carmagnani, diretora de Enfermagem do HSP/SPDM, o Projeto Amicão existe desde 2006, quando algumas unidades do HSP passaram a receber a visita de Joe para sessões de terapia assistida por animais (TAA), com o objetivo de humanizar a assistência. “Além de diminuir o estresse do ambiente hospitalar, esse tipo de terapia estimula a comunicação e a interatividade dos pacientes com os profissionais de saúde.”

As unidades hospitalares que integram o projeto são a Clínica e a Cirurgia Pediátrica, além da Psiquiatria. Na ala infantil, é notável a ansiedade com que Joe é esperado. E o cão terapeuta sabe exatamente como se comportar quando visita cada um de seus pequenos pacientes em seus leitos. Já na ala psiquiátrica, os pacientes são levados para uma área de convivência onde podem ver e tocar o cão companheiro: “Em geral, eles são super-receptivos e mais enfáticos do que as crianças. Gostam muito de pegar e abraçar”, conta Isabel.

O projeto deu tão certo que há relatos de pacientes e anotações em registros de enfermagem e prontuários médicos sobre resultados expressivos e favoráveis à terapia. “Esse tipo de trabalho é extremamente positivo, pois melhora o clima austero do hospital e sensibiliza as pessoas. É um diferencial de humanização. No meu entender, os gestores demonstraram sensibilidade ao permitir a entrada do cão no hospital.”

Joe Amicão e seus Cãopanheiros
O Projeto Amicão surgiu quando as donas de Joe, as irmãs Ângela Borges e Luci Lafusa, perceberem o interesse que os idosos de um asilo demonstraram pelo cachorro. Como trabalha na Unifesp, Ângela teve a ideia de oferecer Joe para atuar como voluntário no Hospital São Paulo. Só que, para isso, ele teve de se adequar a uma série de exigências, como passar por um período de adestramento, receber certificações de que não oferecia nenhum risco de infecção aos pacientes, entre outras. E para isso os cuidados são muitos, entre eles banho semanal, pelos e dentes escovados e vacinação em dia, além de visitas periódicas ao veterinário.

 
 
Mesmo se tratando de um animal treinado e dócil, ainda assim algumas pessoas demonstram certa resistência ao contato, que Luci derruba com um simpático argumento: “Ninguém é forçado a brincar com o Joe, mas sempre digo à pessoa que um dia ela ainda vai se apaixonar por cachorros”.

Além do Hospital São Paulo, Joe visita também o Graac e a Associação Cruz Verde. Diversos hospitais recebem a visita de outros cães do projeto, que cresceu tanto que hoje é conhecido como Joe Amicão e seus Cãopanheiros.
   

Clínica de Dor

A dor aguda é um alerta do organismo, sinal de que alguma coisa não vai bem e precisa ser investigada. Já a dor crônica é uma doença, uma companheira constante e cruel, que maltrata e causa depressão. É aquela que persiste por mais de três meses, não necessita de um estímulo para sua manutenção e afeta cerca de 30% da população mundial.

No Brasil, os números são tão expressivos que uma medida recente do Conselho Federal de Medicina (CFM) incluiu seis especialidades no tratamento da dor – clínica geral, acupuntura, neurocirurgia, ortopedia, reumatologia e fisiatria. Entretanto, desde 1982, o setor de dor da disciplina de anestesiologia, dor e terapia intensiva da Escola Paulista de Medicina (EPM)/Unifesp mantém um Centro de Tratamento de Dor, com equipe multiprofissional, que atende mensalmente cerca de 800 pacientes ambulatoriais e 400 internados no Hospital São Paulo/SPDM. “Inclusive, a EPM disseminou o tratamento da dor para muitos centros, em várias cidades de todo o Brasil”, conta a profa. dra. Rioko Kimiko Sakata, responsável pelo serviço.

O mecanismo da dor
A dor pode ser inicialmente desencadeada por um trauma e evoluir para dor crônica após a cicatrização. “Nessa fase, não há necessidade de um estímulo periférico, como na síndrome complexa de dor regional”, esclarece Rioko. Segundo ela, o estresse também pode ser um fator desencadeante de quadros de dor crônica, como fibromialgia, síndrome miofascial, enxaqueca e cefaleia do tipo tensional. “A prevalência de dor crônica é maior em mulheres. Inclusive, como elas têm a musculatura menos desenvolvida do que os homens, são mais suscetíveis a problemas como bursite e tendinite.”

Diagnóstico e tratamento
O paciente com dor deve ser avaliado através da anamnese e do exame físico, para levantar hipóteses diagnósticas; havendo necessidade, exames complementares são solicitados. “Pelo histórico e pelo exame físico, é possível saber se o paciente está realmente sentindo dor ou não. A intensidade pode ser medida pelo uso de escalas e questionários”, explica a dra. Rioko.

A dor crônica não tem cura, mas pode ser controlada com o uso de diversos recursos disponíveis, como bloqueios, medidas físicas, exercícios, psicoterapia, acupuntura e procedimentos cirúrgicos. Mas, segundo a especialista, o grande arsenal mesmo é de medicamentos, como anti-inflamatórios, opioides, antidepressivos, anticonvulsivantes, relaxantes musculares, anestésicos locais e betabloqueadores, entre outros. “Exercícios físicos, com alongamento e fortalecimento muscular, também auxiliam no tratamento da dor crônica, mas existe a necessidade de administrar medicamentos no início do processo, para que o paciente tenha condições de iniciar a atividade física."

   

Moderno equipamento otimiza diagnóstico de disfagia

Algumas patologias, como tumores, traumatismos cranianos, doenças neurológicas e congênitas, podem afetar o processo de deglutição, com risco de pneumonia e até mesmo de óbito, em decorrência de aspiração da saliva e de alimentos para as vias aéreas inferiores. Um dos principais recursos diagnósticos para esses casos é o videodeglutoesofagograma, método radiológico utilizado para avaliar distúrbios de deglutição (disfagias). Seu principal objetivo é determinar se o paciente pode alimentar-se por via oral com segurança.

Recentemente, o Serviço Integrado de Fonoaudiologia do Hospital São Paulo (SIF/HSP) adquiriu um equipamento especial para otimizar o videodeglutoesofagograma. Trata-se da Vess Chair, uma cadeira especial com medidas específicas para se ajustar aos equipamentos de raio X. Seu material permite visualizar as estruturas do paciente, mesmo em visão frontal, possibilitando a análise precisa da deglutição. “Além de contribuir para a segurança e o conforto do paciente, a cadeira auxilia na manutenção da postura adequada durante o procedimento”, explica a profa. dra. Maria Inês Gonçalves, chefe do SIF. O equipamento foi adquirido nos Estados Unidos, por meio de um edital universal do CNPq, e custou cerca de 7 mil dólares.

   

Educação permanente em farmácia

A SPDM – Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina investe constantemente na formação e no aprimoramento de seus colaboradores, para garantir a qualidade do atendimento prestado. A gerência de farmácia das Unidades Afiliadas, por exemplo, criou um site para unificar as informações, bem como para capacitar e reciclar os colaboradores da área. Além dos profissionais de farmácia, a ferramenta ajuda a treinar os médicos e a equipe de enfermagem. “A preocupação com a educação permanente levou a instituição a contratar uma especialista em educação. Com isso, realizamos grandes evoluções em 2011, desde a parte tecnológica até o desenvolvimento de treinamentos e reciclagem de profissionais”, diz o dr. Nacime Mansur, superintendente da Rede de Unidades Afiliadas da SPDM.

O site também traz informações detalhadas para facilitar o dia a dia dos profissionais, que vão do preenchimento de formulários para obter um medicamento de alto custo até a localização e a forma de chegar a cada uma das unidades da Rede Afiliada SPDM. “O site teve início em 2010, mas vem sendo consolidado desde 2007, quando demos sequência ao trabalho de educação continuada”, conta Marcio Valenta, que responde pela gerência de farmácia das Instituições Afiliadas da SPDM. “Os colaboradores são treinados, continuamente, para se adaptar à cultura institucional.”

Segundo ele, estão em andamento o processo de aquisição da Plataforma Moodle, que permitirá a prática de ensino a distância para capacitar os gestores e os profissionais da farmácia em geral, e o lançamento de um livro sobre o tema “Educação permanente em farmácia SPDM”, previsto para meados de 2012.

   

Fehosp promove seminário entre TCE-SP e OSS

A Fehosp promoveu nessa quinta feira (06), na sede da APM (Associação Paulista de Medicina), um seminário entre representantes de OSS (Organizações Sociais de Saúde) e o TCE (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo), com o objetivo de debater um estudo realizado pelo Tribunal que comparou o gerenciamento de 6 hospitais, sendo 3 da administração direta dos Hospitais Estaduais Paulistas e 3 administrados por Organizações Sociais da Saúde.

Mais de 150 pessoas estiveram presentes no evento que contou com a participação do secretário-diretor geral do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, Dr. Sérgio Ciquera Rossi. O convidado comentou alguns aspectos da pesquisa e esclareceu as dúvidas dos participantes. “Fizemos um levantamento inédito em uma amostra pequena que ainda não nos proporcionou tirar uma conclusão”, afirmou.

Em 2012 será realizado um novo estudo. A intenção é que a análise seja ampliada e melhorada, tornando-se uma referência na avaliação da gestão dos hospitais. “Queremos criar condições, através desse trabalho, de afirmar que os recursos destinados para as OSS estão sendo bem geridos”, explica Rossi.

Além do secretário-diretor geral, participaram do evento o diretor-presidente da Fehosp, Edson Rogatti, o superintendente da SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina), Nacime Salomão Mansur, e o presidente da CMB, José Reinaldo Nogueira de Oliveira Junior.

Fonte: www.fehosp.com.br

   

Conselheiro Mauricio Faria ministra palestra sobre contratos de gestão na Associação Paulista de Medicina

No dia 22 de setembro, o conselheiro do TCM, Maurício Faria, proferiu a palestra “Contratos de Gestão: Aspectos do Controle” na Conferência da Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo (FEHOSP), no Auditório Nobre da Associação Paulista de Medicina. Sob a ótica da atuação do Tribunal de Contas do Município de São Paulo a partir de acórdãos já proferidos pelo órgão, referentes aos contratos de gestão das Organizações Sociais de Saúde (OSS), o conselheiro abordou as práticas adotadas na elaboração, celebração e execução, aspectos de fiscalização e a estrutura de recursos humanos e métodos para uma melhor gestão. Estavam presentes, à mesa, o vice-presidente da FEHOSP, Padre Niversindo Antonio Cherubin, o presidente da Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), Prof. Dr. Rubens Belfort Mattos Junior, o superintendente das Instituições Afiliadas da SPDM, Prof. Dr. Nacime Salomão Mansur, e o presidente da Confederação das Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas, Sr. José Reinaldo Nogueira de Oliveira Junior.

Frente a uma platéia de mais de 160 pessoas, o conselheiro iniciou abordando a matriz constitucional dos Tribunais de Contas – sendo o Tribunal de Contas da União o paradigma obrigatório para todos outros Tribunais – e as referências constitucionais básicas a respeito dos controles externo e interno. Destacou a autonomia dessas Cortes de Contas, pois, como órgãos de auxílio no controle externo, atuam em paralelo ao Legislativo, não integrando nem se subordinando a nenhum dos Três Poderes clássicos (Legislativo, Executivo e Judiciário), a exemplo do Ministério Público, que atua também perante o Poder Judiciário, no entanto, não pertence ou subordina-se a ele, caracterizando-se, então, o Tribunal de Contas e o Ministério Público, como órgãos constitucionais autônomos.

Na sequência, o conselheiro lembrou o parágrafo primeiro do artigo 199 da Constituição Federal, o qual dispõe que “As instituições privadas poderão participar de forma complementar do sistema único de saúde, segundo diretrizes deste, mediante contrato de direito público ou convênio, tendo preferência as entidades filantrópicas e as sem fins lucrativos.”, enfatizando que compete ao poder público, nas parcerias, de forma indelegável, o estabelecimento da linha de atuação a ser executada operacionalmente pelo parceiro privado. Recordou também os votos dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux e Carlos Ayres Britto, no julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade 1923-5, referente à lei de contratos de gestão, em que se posicionaram pela constitucionalidade, no essencial, dessa lei de parcerias, caracterizando-as como uma forma especial de convênio regulado pelo estabelecimento de metas e resultados a serem atingidos.

No caso do voto do Ministro Britto, realçou passagem em que ele aponta a necessidade tanto de qualificação prévia como OS como, também, de habilitação específica dessa OS para realizar o específico objeto do contrato de gestão a ser celebrado, não bastando a simples qualificação inicial.

Para exemplificação, o conselheiro mostrou dois quadros esquemáticos sobre planejamento, celebração e controle da execução dos contratos de gestão, retirados do livro “Terceiro Setor e parcerias na área de saúde”, de Paulo Modesto e Luiz Arnaldo Pereira da Cunha Junior. Apresentou também trechos dos votos no TCM-SP dos processos TCs nºs 72.001.870.09-80 e 72.001.202.09-53, onde os contratos de gestão e suas respectivas execuções foram julgados irregulares, apontando os motivos pelos quais foram rejeitados, sendo as causas principais a ausência por parte da Secretaria da Saúde de um controle interno eficiente e a falta de planejamento na elaboração, celebração e execução, especialmente quanto à utilização dos recursos. O conselheiro Mauricio Faria salientou ainda que “não cabe ao Tribunal de Contas exercer o papel de controle interno, que deve ser implementado pelo próprio poder executivo, no caso a Secretaria Municipal da Saúde”, mas orientou as OSS que estejam sempre preparadas para verificação, a qualquer tempo, do que foi efetivamente realizado e o respectivo custo.

Questionado quanto à atuação do Tribunal de Contas do Município no que diz respeito ao controle pelos resultados nos contratos de gestão, com a possível relevação das falhas formais, o conselheiro explicou que a verificação é feita quanto à utilização do dinheiro público na execução da parceria, sendo que os aspectos procedimentais básicos precisam, sim, ser observados, sob pena de não se ter referências quanto à aferição qualitativa/quantitativa dos resultados e respectivos dispêndios, não bastando a simples constatação de que apenas houve, genericamente, algum tipo de resultado. Segundo ele, a ausência de um plano de previsão e execução dos serviços, no momento da celebração do contrato, gera incerteza na avaliação dos resultados, pois, na medida em que não ocorre a fixação de metas, com indicadores para o acompanhamento, torna-se muito difícil verificar a realização do pressuposto fundamental dos contratos de gestão que é de mais e melhores serviços por um melhor custo.

Ao final, já na fase de debates, o conselheiro assinalou que o município de São Paulo conta com uma janela de oportunidade dada pela combinação de fatores como a estabilização populacional, o aumento da renda da população e o crescimento sistemático das receitas anuais da Prefeitura, com a correspondente elevação das despesas com a Saúde, o que deve possibilitar uma melhora constante na prestação dos serviços públicos, a exigir a otimização da capacidade de gestão por parte da Administração, e isto com um sentido de urgência.

Fonte: www.tcm.sp.gov.br/painelnoticias

   

Anote na sua agenda

1/11/2011

Conferência SPDM
Dr. Helvécio Guimarães Jr. – Secretário da Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde
Tema: "Propostas Prioritárias do Ministério da Saúde"


Hora: 11h

Local: Anfiteatro do Hospital São Paulo
Rua Napoleão de Barros, 715 – 15º andar – Vila Clementino

 
 

Data: 09 de novembro de 2011
Local: Anfiteatro A - Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 - 2º subsolo

Informações
: (11) 5576-4035 e ritamq@hotmail.com

 
 
 

Data: 10 e 11 de novembro de 2011
Local:
Centro de Convenções Rebouças (dia 10) e Sede da Escola Superior do Ministério Público (ESMP) São Paulo (dia 11)

Inscrições: http://www.mp.sp.gov.br

Obs.: As vagas são limitadas.

 
 

18º. Fórum de Debates Brasilianas.org

Data:
29 de novembro de 2011
Local: SPDM - Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina
Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 – Vila Clementino – SP

Informações: (11)3667-2818 – ramal 24 e eventos@advivo.com.br

 
 

V Simpósio Internacional de Novas Habilidades em Cirurgia Cardíaca

Entre os dias 2 e 3 de dezembro de 2011, acontece em São Paulo o V Simpósio Internacional de Novas Habilidades em Cirurgia Cardíaca. O evento, organizado pela equipe de cirurgia cardiovascular do Hospital São Paulo/EPM/Unifesp, será transmitido ao vivo – em alta definição, diretamente do centro cirúrgico do Hospital São Paulo, com interatividade entre o público presente e os cirurgiões. Também será transmitido, via satélite, para todo o Brasil e para diversos países, dos Estados Unidos ao sul da Argentina.

Segundo o dr. Enio Buffolo, responsável pela iniciativa, a medicina avança com rapidez para se adaptar às necessidades da população, e a moderna cirurgia cardíaca tem de encontrar novos campos de intervenções e habilidades. “Em sua quinta edição, o simpósio teve seu programa ampliado, com novos temas, que certamente serão extremamente importantes nas próximas décadas. Nove palestrantes de renome mundial abordarão temas como cirurgia cardíaca minimamente invasiva, cirurgia robótica, tratamento cirúrgico da fibrilação atrial, stents de aorta, terapias gênica e celular, entre outros.”

A abertura do simpósio contará com a presença do vice-presidente da Sony mundial, Soichi Kawachi, que fará uma demonstração de todos os equipamentos que serão utilizados em cirurgia cardíaca nos próximos anos. No encerramento, cada um dos palestrantes terá um breve espaço de tempo para falar sobre o que está para acontecer em sua área de atuação. O futuro da cirurgia cardíaca em 10 minutos”.

Data: 2 e 3 de dezembro de 2011

Informações: www.unifesp.br/dcir/cardiovasc

   
Obs.: Você está recebendo o Notícias da SPDM, boletim informativo enviado para formadores de opinião da área de saúde.
Se você não deseja receber os boletins da SPDM clique aqui.