MATÉRIAS

Hospital Dr. Euryclides de Jesus Zerbini/SPDM é destaque em transplantes no Estado de São Paulo

Em seu balanço semestral, o Ministério da Saúde apontou aumento de 12,7% nos transplantes em todo o País, com destaque para o Estado de São Paulo que, em números absolutos, lidera o ranking com 4.754 transplantes realizados – a maior parte de córnea. Um dos principais centros transplantadores do estado é o Hospital Dr. Euryclides de Jesus Zerbini, antigo Hospital Brigadeiro, reinaugurado em junho de 2010 como o primeiro hospital público do Brasil especializado em transplante de órgãos e tecidos.

Nesse período, a instituição praticamente multiplicou por cinco o número de transplantes realizados. Em 2011, foram 278 procedimentos contra 60 em 2009. Este ano, até o mês de agosto, foram contabilizados 182 procedimentos, sendo 71 de rins, 27 de córnea, 40 de fígado e 44 de medula óssea.

A excelente infraestrutura do hospital – que inclui um laboratório de última geração para análises patológicas de órgãos e tecidos utilizados em cirurgia de transplantes – e a qualificação das equipes multiprofissionais, aliadas a modernas técnicas de gestão adotadas, são alguns dos fatores que explicam os resultados da instituição.

O Hospital Euryclides de Jesus Zerbini é administrado pela SPDM–Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, uma das maiores organizações sociais do País, que atua em 9 estados e 28 municípios. Mensalmente, realiza cerca de 15 mil atendimentos pelo SUS, entre transplantes, neurocirurgias, cirurgias urológicas e tratamento clínico na especialidade de hemofilia.

 
 
   

Hospital São Paulo/HU/ SPDM inaugura nova unidade neonatal

Dando continuidade ao processo de revitalização da área física e do aprimoramento dos serviços prestados, o Hospital São Paulo/HU/SPDM inaugurou no dia 3 de outubro a Unidade Neonatal totalmente repaginada. Com investimento estimado em cerca de 4 milhões de reais, destinados à aquisição de equipamentos e à reforma, o espaço físico aumentou de 244 para 423 metros quadrados e o número de leitos, de 26 para 31. Batizada de Unidade Neonatal Chella e Moise Safra, em homenagem ao casal de beneméritos, a unidade torna-se a maior referência em saúde pública para recém-nascidos no Brasil.

“Certamente teremos a melhor unidade neonatal nos serviços púbicos do País, que propiciará grande qualidade na assistência aos recém-nascidos e no acolhimento das mães, e é isso que queremos oferecer para nossa população”, afirma a Dra. Ana Lúcia Goulart, chefe da Pediatria Neonatal do HSP. “Além da assistência, a unidade também se destinará à formação de médicos e de outros profissionais que atuam na área neonatal, primordial para a qualidade da assistência.”

Para o Dr. Benjamim Israel Kopelman, presidente da ONG Viver e Sorrir - Grupo de Apoio ao Prematuro, e um dos grandes homenageados da ocasião, a nova unidade de neonatologia será de extrema importância para a melhoria da qualidade de atendimento aos recém-nascidos. “Essa unidade representará um ponto importante na história da neonatologia brasileira.”

Coube a Sra. Chella Safra a tarefa de representar a família, agradecendo a todos os envolvidos na empreitada por garantir uma unidade de alta tecnologia para os recém-nascidos. “Daqui em diante posso ver o sorriso de satisfação das famílias que terão seus filhos tão frágeis sendo bem cuidados aqui.”
   


Hospital Ouro Verde/SPDM (Campinas) amplia capacidade de atendimento

O Complexo Hospitalar Ouro Verde iniciou suas atividades em junho de 2008, administrado pela SPDM-Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, com o objetivo de levar o que há de mais avançado em conhecimento médico até a população de Campinas, inserindo o hospital no sistema de saúde local, com foco na prevenção e promoção da saúde. Após um período de profunda reestruturação, visando atingir sua capacidade total de operação, o Hospital Municipal Ouro Verde de Campinas implantou novos serviços e ampliou em 42% a quantidade de procedimentos oferecidos à população. Tal resultado é fruto do aumento do número de leitos: de 131 para 195.

Os destaques ficam por conta das áreas de reabilitação física, com 150% de aumento nos procedimentos; das internações nas Unidades de Terapia Intensiva infantil e adulto, com 101%; ortopedia, com 81%; e psiquiatria, com 51%. Outros setores que merecem atenção são o de exames laboratoriais – 47% – e a clínica médica – 48%. O atendimento ambulatorial cresceu 37%. Já no centro de imagem, que realiza mamografias, ecocardiogramas, raios X, tomografias e exames de ressonância magnética, a ampliação verificada foi de 31%.

Segundo o Dr. Gustavo Ziggiatti Guth, Diretor Técnico do Complexo Hospitalar Ouro Verde, a novidade na área clínica é a implantação do Projeto Terapêutico Singular, que oferece tratamento personalizado de acordo com o perfil de cada paciente, e do conceito de transferência do cuidado, que garante o acesso do paciente a outros níveis de atenção, após a alta hospitalar. “Inclusive, algumas das clínicas, como a de Saúde Mental, de Ortopedia e mais recentemente a Unidade de Referência Vascular Aguda, já são modelos para o Ministério da Saúde”.

Atualmente, como hospital regulado pela Secretaria Municipal de Saúde de Campinas, a instituição está colaborando com a Central de Regulação na estruturação das filas cirúrgicas de diversas patologias eletivas, como ortopedia, vascular e geral. “Com o objetivo de otimizar o processo, os pacientes serão triados e classificados tanto pela ordem cronológica como pela gravidade do caso, para evitar a presença da mesma pessoa na fila de espera de diversos serviços da região.”

Próximos passos – Além de aumentar a atuação da Unidade de Referência Vascular Aguda, está prevista a ampliação do atendimento do ambulatório de oftalmologia, com previsão mensal de 2 mil consultas e 200 cirurgias de catarata. “Outra meta é expandir o número de cirurgias laparoscópicas, em especial das áreas de vascular, proctologia e urologia, para 300 procedimentos por mês”, explica Guth.
   

Fórum de RH da SPDM repete sucesso de edições anteriores

Repetindo o êxito dos outros anos, a SPDM-Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina realizou, no mês de setembro, a terceira edição do Fórum de Recursos Humanos, dessa vez abordando o tema Colaborador: parceiro e agente transformador das instituições filantrópicas de saúde. O evento reuniu gestores de RH de diversas instituições de saúde públicas e privadas, com a proposta de incentivar a troca de experiências, bem como discutir as principais ferramentas utilizadas para estimular a qualidade de vida, a valorização e o crescimento dos profissionais, principal ativo dessas instituições.

“Este ano, tivemos recorde de público, com mais de 200 inscrições presenciais, além de 140 participantes virtuais, de diversas partes do estado de São Paulo”, contabiliza Claudio Yoem, diretor de Recursos Humanos da SPDM. “Só isso já demonstra o empenho das instituições de saúde, no sentido de promover a qualidade de vida de seus colaboradores.”

O evento foi transmitido em tempo real para 35 pontos do Projeto Educasus, coordenado pela Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo (Fehosp). Durante dois dias, 23 palestrantes abordaram temas como pesquisa de clima, comunicação, diversidade, futuro do trabalho, qualidade de vida e saúde do trabalhador.
   


Preservação Ambiental – Instituições da SPDM recebem Prêmio Amigo do Meio Ambiente 2012

A SPDM - Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina se destacou no Seminário Hospitais Saudáveis, recebendo o prêmio “Amigo do Meio Ambiente 2012” por ações de preservação ambiental desenvolvidas em cinco de suas Unidades Afiliadas. Foram agraciados trabalhos apresentados pelas equipes da microrregião Vila Maria / Vila Guilherme, do Complexo Hospitalar Ouro Verde (Campinas), do Hospital Estadual de Diadema, do Hospital das Clínicas Luzia de Pinho Melo (Mogi das Cruzes) e do Hospital Municipal Vereador José Storopolli. O Prêmio Amigo do Meio Ambiente é uma iniciativa da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo que busca reconhecer iniciativas realizadas no âmbito desta que favoreçam a qualidade ambiental.

“Há muitos anos, a preservação ambiental faz parte da cultura da nossa instituição”, conta Dr. Nacime Salomão Mansur, superintendente da Rede Afiliada da SPDM. “Além de cumprirmos com rigor a legislação, no que se refere ao descarte de resíduos, praticamos a cultura da sustentabilidade e adotamos soluções práticas ecologicamente viáveis nos equipamentos de saúde que administramos.”

Seminário Hospitais Saudáveis - Uma iniciativa do Centro de Vigilância Sanitária da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo em parceria com a SPDM - Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, a Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), o Hospital Sírio Libanês e as organizações não governamentais Saúde Sem Dano (SSD) e Projeto Hospitais Saudáveis (PHS).

Projetos da SPDM vencedores do Prêmio Amigo do Meio Ambiente 2012:
 
Projeto Unidade Afiliada
Ações ambientais desenvolvidas na microrregião Vila Maria / Vila Guilherme Microrregião
Tratamento de efluentes do Complexo Hospitalar Ouro Verde – SPDM Complexo Hospitalar Ouro Verde
Projeto relatório de sustentabilidade Hospital Estadual de Diadema
Uso racional de água Hospital das Clínicas Luzia de Pinho Melo
Tratamento de efluentes no Hospital Municipal Vereador José Storopolli Hospital Municipal Vereador José Storopolli
 
Marcel Barberan, técnico Ambiental do Hospital Municipal Vereador José Storopolli; Marina Pontes, gerente de Hotelaria do Complexo Hospitalar Ouro Verde; Alex Teixeira, gerente de Hotelaria do Hospital Estadual de Diadema; Caroline Santos , enfermeira de Hotelaria da Microrregião Vila Maria/ Vila Guilherme; Conceição Mariano, gerente de Hotelaria da Microrregião Vila Maria/ Guilherme; Alessandra Arantes, gerente de Hotelaria do Hospital das Clínicas Luzia de Pinho Melo; Jonas Schwartzman, engenheiro Ambiental Unidades Afiliadas SPDM
   

Pesquisadores da Oftalmologia do Hospital São Paulo/HU/SPDM desenvolvem eletrodo para diminuir custo de exame de retina

A equipe de Eletrofisiologia do Departamento de Oftalmologia do Hospital São Paulo, coordenada pela Profa. Dra. Adriana Berezovsky, desenvolveu a versão nacional de um eletrodo utilizado na eletrorretinografia, exame que permite avaliar alterações na retina. A versão criada pelos pesquisadores, com apoio da Fapesp e do CNPq, tem um custo cerca de quatro vezes menor do que a importada e pode ampliar o acesso ao exame. “Criamos um produto similar para diminuir o custo do exame, já que a versão importada custa algo em torno de US$ 30 /40 e é descartável”, conta a Profa. Adriana.

A Eletrorretinografia (ERG) é um exame sofisticado que analisa a função da retina, utilizando eletrodos que captam a atividade elétrica da área retiniana funcional, em resposta a estímulos luminosos. É útil no diagnóstico diferencial de diversas doenças retinianas, como distrofia de cones e retinose pigmentária. “Trata-se de um exame complementar, feito com encaminhamento do oftalmologista, que ajuda no diagnóstico precoce de doenças oculares”, explica Profa. Adriana.

Segundo a Profa. Adriana, o eletrodo já foi utilizado em 50 pacientes do Ambulatório de Oftalmologia do Hospital São Paulo, mas continua sendo aperfeiçoado. “Nossa próxima etapa é torná-lo mais fino e flexível”, finaliza.
   

PAIS/SPDM em prol do aleitamento materno

Os inúmeros benefícios proporcionados pelo aleitamento materno muitas vezes acabam caindo no esquecimento. Com taxas de aleitamento materno exclusivo abaixo do recomendado, o Brasil enfrenta dificuldades para superar esse desafio e atingir os índices propostos. “Apesar da importância do aleitamento para a saúde da mãe e da criança – que inclui a redução da mortalidade infantil –, hoje enfrentamos uma série de situações impostas pela vida moderna, como os estímulos da sociedade de consumo e a realidade socioeconômica das mães, que precisam retornar ao mercado de trabalho, situação agravada pelo aumento significativo de famílias chefiadas por mulheres em todo Brasil. Além disso, existe a cultura de que o leite materno é fraco ou que pode ser substituído por produtos industrializados”, relata o Dr. Agrimeron Cavalcante da Costa, diretor de planejamento do Programa de Atenção Integral a Saúde (PAIS/SPDM).

Com o intuito de reverter essa situação, diversas mobilizações sociais tentam incentivar, apoiar e promover o aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida da criança — a Semana Mundial de Amamentação faz parte dessas iniciativas. Para celebrar tal iniciativa, a equipe do PAIS/SPDM promoveu no dia 29 de agosto a segunda edição do Encontro de Aleitamento Materno. Realizado no território Aricanduva / Sapopemba / São Mateus, o evento teve como objetivo compartilhar experiências bem-sucedidas desenvolvidas pelas unidades básicas de saúde. Cerca de 150 profissionais das unidades de saúde administradas pela SPDM estiveram presentes na ocasião abordando temas como aleitamento materno e sustentabilidade, banco de leite, além de prestigiarem atividades musicais e peças teatrais. “Sem sombra de dúvida, encontros assim são importantes porque nos mostram que precisamos trabalhar a questão do aleitamento materno pensando na saúde da mulher e da criança, preparando-a para que ela tenha todo o apoio necessário e não deixe de amamentar o filho precocemente”, finaliza o Dr. Agrimeron.
 
   

Hospital Municipal Pimentas Bonsucesso/ SPDM (Guarulhos) completa 6 anos

Inaugurado em setembro de 2006, o Hospital Pimentas Bonsucesso, administrado pela SPDM, comemora 6 anos de uma trajetória vitoriosa – sua mais recente conquista foi a obtenção da certificação ONA 1, que tem seu foco na segurança do paciente. Graças à implantação de protocolos de atendimento, da UTI e da organização com a rede referenciada do SUS, a instituição é responsável pela redução de 45% no índice geral de mortalidade da região – 41% no índice de mortalidade por doenças do aparelho circulatório na região, entre 2006 e 2011. “Esses dados demonstram a importância do papel do hospital no atendimento, no suporte e na educação continuada da rede de saúde local”, diz o Dr. Ronald Maia Filho, diretor da instituição.

O Pimentas Bonsucesso é um hospital geral, de médio porte, localizado em Guarulhos, município da Região Metropolitana de São Paulo, com 1, 2 milhão de habitantes (censo 2010). Dispõe de 135 leitos de internação e oferece assistência de urgência e emergência aos habitantes do entorno, fazendo em média 18 mil atendimentos mensais no pronto-socorro, com gerenciamento de protocolos de dor torácica, AVC com trombólise e sepses. Seu ambulatório, estratificado por risco e integrado com a rede do SUS, atende cerca de 5 mil pacientes por mês, em dez especialidades. Também proporciona serviço de reabilitação para pacientes ortopédicos e neurológicos, adulto e infantil, com disponibilização de aproximadamente 2 mil vagas mensais e de equipe multidisciplinar, que envolve fisiatras, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, acupuntura, ambulatório da dor e tai chi chuan.

Outro diferencial do Hospital Municipal Pimentas Bonsucesso é o programa de humanização, com brinquedoteca, biblioteca itinerante, primeira foto para gestantes e registro de nascimento, além dos projetos Hospitalegre e Cão Hospitalar.

Expansão – Em recente visita ao hospital, o ministro Alexandre Padilha parabenizou a SPDM e deu inicio oficial à terceira fase de expansão da instituição, que prevê a construção da UTI pediátrica, da maternidade definitiva, além de dois andares de internação, com mais 120 leitos, totalizando 255 leitos.
   

SPDM filia-se a Rede Global de Hospitais Verdes e Saudáveis

A SPDM agora faz parte do Projeto Hospitais Saudáveis (PHS), entidade que congrega instituições de saúde com o objetivo de compartilhar conhecimentos e desenvolver ações que visem à melhoria contínua das práticas ambientais e de saúde pública. Tudo em benefício de uma sociedade mais justa, segura e sustentável, promovendo a saúde ambiental para todos.

Em setembro, a instituição foi agraciada com o título de membro fundador da Rede Global de Hospitais Verdes e Saudáveis no Brasil, entregue por Joshua Karliner, coordenador internacional da organização não governamental Health Care Without Harm (Saúde Sem Dano). Como integrante da entidade, a SPDM se compromete em participar da Agenda Global Hospitais Verdes e Saudáveis – AGHVS, que, por meio de 10 objetivos inter-relacionados e integrados, propõe a redução de impactos ambientais do setor saúde. São eles:

liderança
priorizar saúde ambiental;

substâncias químicas
substituir substâncias perigosas por alternativas mais seguras;

resíduos
reduzir, tratar e dispor de forma segura os resíduos de serviços de saúde;

energia
implementar eficiência energética e geração de energia limpa renovável;

água
reduzir o consumo de água e fornecer água potável;

transporte
melhorar as estratégias de transporte para pacientes e funcionários;

alimentos
comprar e oferecer alimentos saudáveis e cultivados de forma sustentável;

produtos farmacêuticos
prescrição apropriada, administração segura e destinação correta;

edifícios
apoiar projetos e construções de hospitais verdes e saudáveis;

compras
comprar produtos e materiais mais seguros e sustentáveis.

Ao participar da Agenda Global, a SPDM terá acesso à Rede Global de Hospitais Verdes e Saudáveis, projeto da Organização Internacional Saúde Sem Dano (SSD) que atua como uma comunidade virtual para os hospitais e os sistemas de saúde que se propõem a implementar e desenvolver as ações propostas, registrando seu avanço por meio de resultados mensuráveis, enquanto compartilham as melhores práticas e encontram soluções para desafios comuns.
 
   

Evidencias Praticas para a Vida Real - Centro Cochrane do Brasil

Evidências insuficientes para o uso de alho na prevenção ou no tratamento de resfriado comum
 
 
Questão clínica
 
 
Qual a efetividade do alho na prevenção ou no tratamento de resfriado comum?
 
 
Contexto
 
 
 
O alho é referido como possuidor de propriedades antimicrobianas e antivirais que aliviam o resfriado comum, entre outros efeitos benéficos, levando ao uso generalizado de suplementos de alho. O resfriado comum é associado com significante morbidade e consequências econômicas. Em média, as crianças têm de seis a oito resfriados por ano, e os adultos têm de dois a quatro.
 
 
Resultados
 
 
 
Não há nenhuma evidência conclusiva para recomendar suplementos de alho como uma opção na prevenção ou no tratamento do resfriado comum. Um ensaio clínico com amostra pequena sugere que o alho pode reduzir a frequência de sintomas do resfriado comum se tomado continuamente como profilático diariamente, mas os resultados necessitam de validação. Em média, indivíduos que tomaram alho tiveram duração de resfriado de 1,52 dia, enquanto aqueles que tomaram placebo tiveram duração de resfriado de 5,01 dias. Não há atualmente nenhuma evidência de qualidade para apoiar a decisão de que o tratamento de resfriados comuns com alho reduz a gravidade dos sintomas ou os dias de doença. Em geral, os eventos adversos relatados incluem odor e irritação da pele e das vias respiratórias. A frequência de efeitos adversos não pôde ser determinada com base no estudo disponível.
 
 
Pontos importantes
 
 
 
Apenas um estudo que preencheu os critérios de seleção foi identificado, limitando as conclusões. Os critérios de inclusão e exclusão dos pacientes não foram relatados nem as diferenças em comorbidade ou doenças concomitantes. Esses fatores reduzem a generalização e podem ter introduzido viés nos resultados. Nenhum estudo foi identificado que avaliasse se tomar suplemento de alho para os sintomas do resfriado reduz sua gravidade ou sua duração.
 
 
Revisão sistemática Cochrane
 
 
 
Lissiman E. et al. Garlic for the common cold. Cochrane Reviews 2009, Issue 3. Article N. CD006206. DOI: 10.1002/14651858. CD006206.pub2 Esta revisão incluiu um estudo com 146 participantes.
 
   

PAIS/SPDM promove Encontro de Meio Ambiente, Saúde e Educação para crianças no Céu Caminho do Mar

As constantes mudanças climáticas do nosso planeta e os permanentes desafios à qualidade de vida impostos pelos grandes centros urbanos têm feito com que as pessoas pensem cada vez mais na relação entre as próprias atitudes e os impactos ambientais. Torna-se cada vez mais comum encontramos educadores, escolas e ONGs preocupados em mostrar para crianças e adolescentes como cuidar bem da Terra e reverter todos esses impactos. Ensinar para as futuras gerações é o desejo de transformação que existe na maioria dos adultos de hoje. “Mas ainda falta atitude para sair do discurso e partir para a ação”, analisa Mariane Ceron, supervisora de educação permanente do PAIS/SPDM.

O poder transformador das novas gerações é assunto levado a sério pela equipe do PAIS/SPDM, que realizou no dia 24 de agosto, no Céu Caminho do Mar, o I Encontro de Meio Ambiente, Saúde e Educação. Com o objetivo de engajar a sociedade e melhorar a educação das crianças, o evento contou com a presença de representantes da Secretaria da Educação, Secretaria do Meio Ambiente, Programa Ambientes Verdes e Saudáveis, além de coordenadores do Céu Caminho do Mar. Mais de 100 profissionais e cerca de 200 crianças puderam desfrutar de inúmeras atividades, tais como oficinas de customização de brinquedos, de produção de papel reciclado, entre outras, voltadas para conscientização e educação dos cidadãos de amanhã.

Segundo a filosofia do PAIS, saúde e meio ambiente são frutos de um trabalho, entre outros fatores, de um trabalho de educação comunitária que estimula as pessoas a mudarem suas atitudes, com a intenção de construir uma sociedade melhor e ambientes saudáveis para viver. “Num evento como esse, além de preparar as crianças, também trabalhamos com a educação reflexa, ou seja, a criança aprende a ter atitudes de preservação da própria saúde e do planeta e se torna multiplicadora junto à família. Assim, o adulto, que muitas vezes possui apenas um discurso favorável à preservação, mas mantém hábitos prejudiciais ao meio ambiente, acaba aderindo à transformação tão necessária nos dias de hoje”, conta Mariane Ceron, responsável pela organização do evento.

Para o Dr. Mário Monteiro, superintendente do PAIS/SPDM, iniciativas como essa trazem uma profunda reflexão sobre nossas atitudes e são importantes para a transformação de toda a sociedade. “O evento foi uma demonstração prática da missão da nossa instituição, envolvendo a rede de profissionais e a administração pública na transformação do olhar das futuras gerações para a construção de uma sociedade mais sustentável”.

   


Executivos do BGI Americas na SPDM: em busca de parceria

No mês de setembro, a SPDM recebeu a visita de uma comissão de executivos do BGI Americas, maior centro especializado em sequenciamento de genoma e serviços de bioinformática para aplicações médica, agrícola e ambiental. O grupo, composto pelo Dr. Jian Wang, presidente do BGI, Greg Wang, CEO, e Gary Zeng, representante da instituição na América Latina, esteve na SPDM, com o objetivo de estabelecer um acordo no campo de pesquisas, inclusive oftalmologicas, no Brasil.
 
Prof. Dr. Rubens Belfort Jr, presidente da SPDM, Wang Jian, presidente do BGI, e dra. Juliana Sallum, oftalmologista
   

Anote na sua agenda

14 de dezembro de 2012

1º Annual São Paulo Champalimaud Symposium

   
Obs.: Você está recebendo o Notícias da SPDM, boletim informativo enviado para formadores de opinião da área de saúde.