MATÉRIAS

I Encontro de Gestão de Qualidade e Segurança no Sistema de Saúde

No final de outubro, aconteceu no Hospital de Transplantes Euryclides de Jesus Zerbini/SPDM o I Encontro de Gestão de Qualidade e Segurança no Sistema de Saúde, com a participação de especialistas em segurança das áreas de aviação e saúde, para troca de experiências entre dois nichos de prestação de serviços que lidam com vidas humanas e crises em potencial. Gestão do risco, educação continuada, treinamento, importância do check-list e administração de crise foram alguns dos temas abordados.

Segundo a dra. Maria Dolabela Magalhães, gerente da qualidade das Unidades Afiliadas SPDM e coordenadora do evento, a semelhança entre os riscos do transporte aéreo e os da saúde exige sistemas de segurança igualmente complexos. “Certamente, com a expertise adquirida devido ao seu histórico de acidentes de grandes proporções, as empresas aéreas têm muito a contribuir também para o aprimoramento dos serviços de saúde”, explica a especialista.

Atualmente, a segurança do paciente é uma das prioridades dos serviços de saúde no mundo todo. Em maio de 2002, durante a 55ª Assembleia Mundial de Saúde, a Organização Mundial de Saúde (OMS) estabeleceu prioridades para os esforços no desenvolvimento de metodologias embasadas cientificamente para melhoria da qualidade e da segurança no sistema de saúde. Em 2004, a mesma entidade criou o Programa de Segurança do Paciente, sublinhando a importância da segurança do paciente como um programa de saúde global. “No Brasil, os processos de acreditação de qualidade, tanto nacionais quanto internacionais, têm colaborado sobremaneira para o incremento de medidas voltadas para a segurança dos pacientes, nas instituições hospitalares”, avalia a dra. Maria Dolabela.

O evento, que teve abertura dos drs. Rubens Belfort Jr., presidente da SPDM, e Nacime Salomão Mansur, superintendente da rede de Unidades Afiliadas SPDM, foi transmitido por videoconferência para todas as unidades gerenciadas pela instituição e contou com 110 participantes presenciais e 700 virtuais.

   

Transplantes II – A gestão que faz a diferença

Pouco mais de dois anos após a sua reinauguração, sob a gestão da SPDM – Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, o Hospital de Transplantes Euryclides de Jesus Zerbini se coloca definitivamente como um dos principais centros transplantadores do estado de São Paulo, além de se tornar um centro difusor de conhecimento, capacitação e formação de recursos humanos. “O advento da SPDM trouxe mudanças significativas para a instituição, tanto no quesito infraestrutura quanto na implantação de novos processos, de modernas técnicas de gestão e na contratação de equipes multiprofissionais altamente capacitadas”, atesta o dr. Nacime Salomão Mansur, superintendente da Rede de Unidades Afiliadas da SPDM.

Os médicos que atuam no hospital são unânimes em afirmar que a sua excelente infraestrutura é um dos quesitos que explicam os resultados da instituição, que já realizou 674 transplantes no período, com especial vocação para os casos mais complexos. Conforme relato do dr. Diogo Medeiros, coordenador do serviço de transplante renal, muitos dos pacientes que passam pelo procedimento no Euryclides de Jesus Zerbini não seriam transplantados em outros hospitais. “São pessoas mais velhas, com maior risco cardiovascular, frequentemente portadoras de diabetes e outras complicações, que exigem uma internação mais prolongada. Além disso, nesses casos existe maior chance de perda do enxerto.”

Com o advento da SPDM, uma das vantagens foi o aumento do número de colaboradores, devido à maior facilidade de contratação. Hoje, nós temos 23 ambulatórios que atendem de 25 a 30 pacientes cada um, por semana, e cerca de 50 leitos disponíveis, o que só faz aumentar o número de pacientes. Além disso, contamos com excelente infraestrutura e só trabalhamos com medicamentos de ponta”, atesta a dra. Leila Perobelli, responsável pelo serviço de hematologia e transplante de medula óssea do Hospital de Transplantes.

“Devido ao alto grau de exigência, fazer transplantes é quase como ter uma acreditação. Além de equipes altamente capacitadas, a infraestrutura básica tem de ser bem estabelecida e afinada”, atesta o dr. Carlos Baía, que coordena uma das duas equipes de transplantes de fígado do Hospital Euryclides de Jesus Zerbini. Já o dr. Adriano Mizziara Gonzalez, especialista em transplante hepático e coordenador de outra equipe, acredita que uma instituição que se especializa em um determinado tipo de procedimento agiliza os processos e torna tudo mais fácil. “Os transplantes têm uma complexidade burocrática, por exemplo, que já se tornou rotineira no hospital.”

A instituição também está apta a atender os casos mais complexos de transplantes de córnea, que necessitam de outros procedimentos associados, como uma cirurgia de glaucoma ou de catarata.

Uma nova chance – “Há muitos anos, fui diagnosticado como portador de hepatite C, que se transformou numa cirrose e necrosou meu fígado. Entrei e saí da fila de transplantes, até chegar a um ponto em que atingi 84 quilos de peso, devido ao inchaço, com 40% da função hepática e Meld 24 (índice de gravidade). Minha situação era desesperadora. Durante um ano, vivi um pesadelo constante de consultas médicas, exames, internações, medicamentos e punções para drenar o líquido acumulado no abdômen.

A grande virada teve início quando cheguei ao Hospital de Transplantes. Depois de duas tentativas frustradas, surgiu um doador compatível e eu recebi um fígado novo no dia 18 de maio de 2012, data que se tornou meu segundo aniversário. Tudo correu melhor do que o esperado: dez dias após o procedimento, recebi alta e retomei minha vida junto à família.

Hoje, sinto-me ótimo. Inclusive, voltei a trabalhar com o mesmo ânimo de sempre. Tenho certeza de que estou vivo porque Deus me deu uma segunda chance, pelas mãos dos competentíssimos profissionais do Hospital de Transplantes, que, sem exceção, me cercaram de cuidados, respeito e muito carinho. Meu muito obrigado à equipe de transplantes de fígado e à família do doador.” Renato Lanzoni, 62 anos, casado, três filhas, um neto

   

SPDM/PAIS promove debate sobre os desafios da implantação do Apoio Matricial no SUS

No dia 26 de novembro, a equipe de educação permanente da SPDM/Programa de Atenção Integral à Saúde (PAIS) promoveu o Seminário NASF e Clínica Ampliada: os Desafios da Prática. O evento teve como objetivo promover a discussão e a troca de experiências sobre os desafios enfrentados pelos profissionais de saúde na atenção aos usuários do SUS. Atualmente, a SPDM/PAIS é responsável por 21 equipes de Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), na cidade de São Paulo, espalhados pelas regiões norte, sudeste e leste, totalizando cerca de 160 profissionais atuando em 63 Unidades de Saúde da Família. Dessas unidades, participaram também gerentes e profissionais médicos e de enfermagem.

A discussão foi conduzida por dois palestrantes com vasta experiência em saúde pública – os drs. Gastão Wagner de Sousa Campos, professor titular do Departamento de Medicina Preventiva e Social da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp, e Daniel Almeida Gonçalves, médico de família da SPDM/PAIS.

O encontro foi realizado em dois períodos, para otimizar a participação dos colaboradores, reunindo aproximadamente 300 participantes. “Assim, tivemos a oportunidade de encontrar praticamente todos os colaboradores do NASF/SPDM, pessoas estratégicas para a construção do apoio matricial e da clínica ampliada na cidade de São Paulo”, aponta Mariane Ceron, supervisora de educação permanente da SPDM/PAIS. Segundo ela, está prevista a elaboração de um programa de educação permanente para esses colaboradores. “Uma grande novidade para 2013 será a educação permanente voltada para as equipes do NASF, visando à necessidade dos colaboradores, produzindo conhecimento a partir das experiências desenvolvidas.” Ponto reforçado pelo dr. Ramiro Antero de Azevedo, diretor de educação permanente da SPDM/PAIS: “Esperamos que esse trabalho seja muito profícuo, pois a participação dos nossos colaboradores é muito importante. Precisamos de suas dúvidas e sugestões, para que todos participem intensamente da melhoria dos nossos serviços”.

A organização do evento mostrou-se engajada na preservação ambiental e comprometeu-se a neutralizar as emissões de carbono produzidas durante o evento através do plantio de árvores, unindo educação permanente e preservação ambiental.

   

SPDM e Hospital São Paulo promovem evento sobre humanização na saúde

No final de novembro, aconteceu o tradicional encontro de humanização do Hospital São Paulo/HU/SPDM, realizado com o objetivo de discutir a humanização na área da saúde. O ponto alto do evento foi o lançamento do site Humaniza HSP, que contempla parte dos projetos desenvolvidos no Hospital São Paulo e pode ser visitado no site da instituição.

Criado em 2001, vinculado ao Programa de Humanização do Ministério da Saúde, que hoje é uma das políticas do SUS, o Projeto de Humanização do Hospital São Paulo/HU/SPDM objetiva diminuir o estresse do ambiente hospitalar, tanto para pacientes como para acompanhantes e profissionais que atuam na instituição, por meio de ações desenvolvidas em parceria com diversos grupos de voluntários. “No início, apenas a Pediatria implementou e incorporou projetos ousados, como o Amicão. Com o tempo, o projeto cresceu e diversos trabalhos voluntários semelhantes passaram a ser realizados em todas as alas do hospital”, conta a profa. Maria Isabel Carmagnani, diretora de enfermagem do Hospital São Paulo/HU/SPDM e coordenadora do projeto. “Atualmente, temos 25 grupos de humanização, que se dividem entre os diversos públicos do hospital, desenvolvendo trabalhos que fazem grande diferença para os pacientes, principalmente os que ficam internados por longos períodos.”

Já o prof. dr. José Roberto Ferraro, superintendente do Hospital São Paulo, falou sobre a importância do envolvimento de todos os colaboradores na humanização do ambiente hospitalar. “Todos os profissionais que atuam na saúde, mesmo os das áreas administrativas e de apoio, precisam ter sensibilidade para lidar com os pacientes e seus familiares, que se encontram fragilizados. Mesmo pequenas atitudes, se adequadamente colocadas, certamente contribuirão para o bem-estar de alguém.”

Participaram do evento representantes de alguns dos projetos que atuam na instituição, como Toque de Beleza, ImageMágica, Amicão, Saracura, Meditando no Labirinto, Ternura do Canto e Coral do Hospital São Paulo.

   

Hospital de Transplantes Euryclides de Jesus Zerbini/SPDM e Cremesp promovem evento sobre bioética hospitalar

O Hospital de Transplantes do Estado de São Paulo Euryclides de Jesus Zerbini, gerenciado pela Rede de Unidades Afiliadas/SPDM, em parceria com o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) realizou, no final de novembro, o I Simpósio de Bioética Hospitalar.

O objetivo do evento, que reuniu grandes especialistas, foi discutir questões bioéticas e legislativas relacionadas ao transplante de órgãos, como a postura das equipes de captação de órgãos, a atuação dos cirurgiões e a relação entre esses médicos e seus pacientes.

Participaram do encontro profissionais das áreas assistencial e administrativa, que tiveram a oportunidade de tirar dúvidas sobre o conceito de morte encefálica, o processo de notificação de potenciais doadores e realização da captação de órgãos e as normas legislativas que tornam o sistema de transplantes do Brasil organizado e eficiente.

   

Novo Hemocentro beneficia hospitais da SPDM

No início de outubro, foi inaugurado o novo prédio do Hemocentro da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), com o objetivo de integrar os diversos serviços de hemoterapia e hematologia da instituição. Além da assistência, do ensino e da pesquisa, o novo prédio abriga os Centros de Referência para o tratamento dos portadores de coagulopatias hereditárias (hemofilia) e para os portadores de hemoglobinopatias (anemia falciforme e talassemia).

Sob a coordenação do prof. dr. José Orlando Bordin, conta com uma equipe multiprofissional de aproximadamente 200 colaboradores, capacidade instalada para coleta e processamento de até 10 mil bolsas de sangue por mês e previsão de atendimento de cerca de mil pacientes por mês em seu Ambulatório no piso térreo.

É responsável pela agência transfusional do Hospital São Paulo/HU e trabalha em estreito relacionamento com mais duas instituições gerenciadas pela SPDM: Hospital Geral de Pirajussara e Hospital Estadual de Diadema. Colabora, também, com o Hospital do Rim e Hipertensão e com o Graac.

Infraestrutura – Nos seis andares do Hemocentro estão distribuídos a disciplina de hematologia e hemoterapia, salas de reunião, anfiteatro, área administrativa, dez consultórios (médico, odontológico, assistência social, fisioterapia), 15 laboratórios, entre os quais o de biologia celular com citometria de fluxo, citogenética, biologia molecular e coagulação. Em dois de seus pavimentos concentra-se o chamado ciclo do sangue, com coleta tradicional e por aférese, sorologia, fracionamento, imuno-hematologia, estoque e agência transfusional.

Conta, também, com um andar totalmente direcionado à reabilitação fisioterápica dos pacientes acompanhados em seus Centros de Referência.

   

Microrregião Vila Maria/Vila Guilherme promove saúde através do esporte

A antiga máxima “Mente sã em corpo são” ainda é levada a sério nos dias de hoje, independentemente de idade ou classe social. Atualmente, milhares de pessoas frequentam diariamente academias, parques, avenidas e programas oferecidos pela rede pública de saúde, em busca de qualidade de vida.

Exemplo disso acontece nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) da Microrregião Vila Maria/Vila Guilherme, gerenciada pela SPDM, com diversos grupos de pessoas que praticam exercícios físicos. A adesão a esses grupos aumenta progressivamente, através da indicação das equipes médicas, em especial para os portadores de hipertensão e doenças metabólicas, como diabetes tipo 2 e obesidade. As opções são caminhada com alongamento, ginástica laboral e localizada, dança circular e I Qi Gong.

A participação depende da inscrição em uma das unidades da microrregião e do preenchimento de questionário com histórico de saúde, bem como aferição de peso, altura, pressão arterial e glicemia capilar. Durante as atividades, os participantes são supervisionados e orientados por equipes multidisciplinares em cada unidade de saúde. A cada seis meses, todos são submetidos a reavaliação.

Atualmente, participam do programa cerca de 500 pessoas – 74% são mulheres, 48% têm mais de 60 anos e 77% são portadores de hipertensão arterial e diabetes mellitus.

   

SPDM disponibiliza cadastro médico online para consulta

A SPDM – Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina disponibiliza para consulta em versão mobile o cadastro dos médicos que fazem parte do corpo clínico do Hospital São Paulo. O catálogo reúne informações detalhadas sobre as especialidades, as áreas de atuação e os contatos de cerca de mil médicos credenciados que atuam no HSP.

Endereços para acesso

 

Evidências Práticas para a Vida Real - Centro Cochrane do Brasil

A efetividade dos exercícios físicos no tratamento da dor lombar
 
Questão clínica
Quão efetivos são os exercícios para a prevenção de recorrência de dor lombar?
Contexto
A dor lombar é uma doença comum que tem a tendência de recorrência. Os episódios de dor lombar podem ser muito debilitantes e impõem grande peso nos custos em saúde.
Resultados
Existem evidências de moderada qualidade de que exercícios pós-tratamento (fornecidos aos pacientes após o tratamento para um episódio de dor lombar) foram mais eficazes do que qualquer intervenção para redução da taxa de recorrência em um ano. Dois estudos verificaram que o número de recidivas foi significativamente reduzido em seis meses a dois anos de acompanhamento. Existe também alguma evidência de diminuição dos dias em licença médica. As evidências são conflitantes para a eficácia do exercício durante o tratamento (exercício como parte do tratamento para um episódio atual de dor lombar) na redução do número de recorrências.
Pontos importantes
Os efeitos adversos do exercício não foram mencionados em nenhum dos estudos. As limitações desta revisão incluem a diferença nos exercícios utilizados entre os estudos, tornando assim difícil especificar qual programa é mais adequado para prevenir recorrências de dor lombar.
Revisão sistemática Cochrane
Choi BKL et al. Exercises for prevention of recurrences of low-back pain. Cochrane Reviews 2010, Issue 1. Article N. CD006555. DOI:10.1002/14651858.CD006555.pub2. Esta revisão incluiu nove estudos com 1.520 participantes.

Unidades Afiliadas da SPDM são homenageadas durante o IX Encontro de Tuberculose da Cidade de São Paulo

Duas unidades de saúde gerenciadas pela SPDM foram homenageadas durante o IX Encontro de Tuberculose da Cidade de São Paulo. A UBS Vila Guilherme e o Centro de Saúde I Dr. Lívio Amato, da Vila Mariana, receberam, respectivamente, certificados nas categorias prata e bronze de Qualidade de Serviço, conferidos pela Coordenação de Vigilância em Saúde, pelo atendimento de 16 ou mais casos novos de tuberculose no ano de 2011, com cura de mais de 85% e abandono menor que 5%.

No evento, promovido pela Secretaria Municipal de Saúde, foram premiadas unidades que atingiram as metas estabelecidas pelo Programa de Controle da Tuberculose da Cidade de São Paulo.

 
 
   

Colaboradora da SPDM recebe homenagem pública por serviços prestados à comunidade

Especialistas em gestão de pessoas costumam afirmar que os colaboradores exercem importante papel na evolução das empresas. Nas instituições de saúde não poderia ser diferente, já que o colaborador é peça fundamental na busca por serviços mais humanos e de qualidade. Um bom exemplo dessa afirmação está na premiação recebida pela colaboradora Danielle Domingues de Castro Mota, gerente da AMA Elísio Teixeira Leite, do bairro de Taipas, na zona norte, e administrada pela SPDM/PAIS.

Formada em enfermagem e pós-graduada em administração, Danielle foi homenageada pela Câmara Municipal de São Paulo pelos excelentes serviços prestados à comunidade local. Durante a cerimônia, realizada no mês de junho, Danielle destacou a importância das organizações sociais na melhoria da qualidade dos serviços públicos de saúde. “Nós da SPDM viemos para fazer a diferença. A população merece um atendimento com qualidade e respeito.”

Dividindo o mérito da premiação, a enfermeira fez questão de ressaltar que todos os colaboradores da unidade tiveram papel fundamental nesse processo. “O mérito é de toda a equipe, que vem se empenhando todos os dias, com muita motivação, para receber os pacientes de forma humanizada, priorizando a qualidade e a excelência no atendimento.”

   

SPDM promove evento sobre saúde da mulher na zona norte de São Paulo

No mês de outubro, a microrregião da Vila Maria/Vila Guilherme administrada pelas Unidades Afiliadas da SPDM promoveu o I Seminário sobre a Atenção à Saúde da Mulher. Cerca de 60 profissionais de saúde estiveram no evento, que faz parte das várias ações que visam melhorar a qualidade da assistência na região.

Entre os diversos temas apresentados, a importância do início precoce e do controle periódico do pré-natal foi amplamente debatida como forma de prevenir a mortalidade materna e infantil. Ainda abordando os aspectos da maternidade, o planejamento familiar, as singularidades e os cuidados especiais com as gestantes de risco e portadoras de sorologias como sífilis, HIV e toxoplasmose foram apresentados como forma de garantir que o pré-natal seja benfeito e tranquilo, principalmente levando-se em conta as complicações de uma gravidez não desejada ou de risco.

A preocupação de aproximar os jovens do serviço de saúde e o combate ao câncer do colo de útero e de mama também foram outros pontos marcantes do encontro. Para o dr. João Ladislau Rosa, superintendente da microrregião Vila Maria/Vila Guilherme, iniciativas como essa evidenciam a busca pela excelência nos serviços de saúde prestados nas unidades da região. “Tivemos grandes avanços, hoje partimos para uma mudança na qualidade dos nossos serviços. Esse tipo de atividade, organizada pela SPDM em conjunto com a Coordenadoria Regional de Saúde Norte e com a Supervisão Técnica de Saúde, é um passo a mais para garantir qualidade e uniformizar nossas condutas. Além disso, esse evento reforça nosso trabalho, que tem sido cada vez mais proativo.”

   

Obs.: Você está recebendo o Notícias da SPDM, boletim informativo enviado para formadores de opinião da área de saúde.