Dica Cultural

Shine – esquizofrênico e brilhante

Shine – esquizofrênico e brilhante

Quando a astróloga Gillian (Lynn Redgrave), dona de um bar na Austrália, resolveu levar para sua casa o excêntrico desconhecido que chegou totalmente perdido em seu estabelecimento naquela noite chuvosa, não sabia que sua vida estava prestes a virar de ponta cabeça.

O excêntrico era ninguém menos que David Helfgot (Geoffrey Rush), um pianista muito talentoso, beirando à genialidade, que desenvolveu esquizofrenia, e mesmo sendo considerado um virtuose do piano, tem um comportamento de uma criança.

O filme é a biografia David, um garoto prodígio que passou a infância sob a repressão e tirania do seu pai (Armin Mueller-Stahl). Passou muitos anos da sua vida internado em clínica psiquiátrica, mas até hoje convive com a doença.

A produção narra a angústia de David entre seus cinco e sete anos (interpretado pelo jovem Alex Rafalowicz), em busca da aceitação do seu pai, a quem atribui qualidades que esse não tem - e seus esforços para ser aceito e admirado pelo seu progenitor dominador se fundem com os transtornos mentais que começa a desenvolver, como ataques de neurose e psicose, perda do controle da fala, incoerência de ideias, divagações, descontrole psicomotor, inadequação social, falta de noção da realidade e ataques de amnésia (quando não reconheceu a própria irmã), entre outros sintomas.

Leia também:

Pessoas com depressão e transtornos afetivos são maioria em ambulatório de saúde mental

Maconha e "novas" psicoses

Saiba o que é esquizofrenia

Andar pelado - e até tocar pelado - era para David parte da rotina. Aos 19 anos David Helfgott ganhou uma bolsa de estudos na Royal College of Music, em Londres, onde estudou por três anos.

É claro que Gillian se assustou com o furacão chamado David, mas conseguiu manter a mente aberta e ver também seu brilhantismo, sua alegria, sua paixão por clássicos como Modest Mussorgsky, Sergei Rachmaninoff, Frédéric Chopin, Franz Liszt, Robert Schumann e Nikolai Rimsky-Korsakov. Depois de consultar as estrelas, entendeu que valia a pena aceitar o que sentia, valia a pena amar David como ele era. Gillian foi sua segunda esposa.

Por sua belíssima interpretação, Geoffrey Rush ganhou o Oscar de Melhor Ator em 1997.

O filme, de 1996, vale a pena ser visto pela leveza e alegria que proporciona ao espectador. Está disponível em DVD e Blue-ray.

Shine – Brilhante (1996)

Direção e argumento de Scott Hicks; roteiro de Jan Sardi; com Geoffrey Rush, Noah Taylor, Armin Mueller-Stahl, Lynn Redgrave, John Gielgud, Alex Rafalowicz, Justin Braine, Sonia Todd e Chris Haywood.

   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032