Notícias

Ministério promove pesquisa para plano de combate a dengue

Ministério promove pesquisa para plano de combate a dengue

Iniciativas contam com investimento de cerca de R$ 5,3 milhões para medidas preparatórias para a introdução da vacina contra a doença

O Ministério da Saúde preparou um plano de medidas para a imunização contra a dengue no Brasil. Entre os planos, está um estudo encomendado para definir os locais e populações prioritárias a receber a vacina. O objetivo é intensificar as ações de vigilância e prevenção à doença e para isso, o Ministério está dobrando o volume de recursos adicionais. Em dois anos, o investimento será de R$ 5,3 milhões. Ao todo, serão repassados a estados e municípios R$ 363,4 milhões. O recurso extra representa um acréscimo 110% em relação ao que foi transferido em 2012. No ano passado, foram repassados R$ 173,3 milhões.

Como primeira iniciativa, um grupo de trabalho formado por técnicos do ministério, Anvisa e especialistas de diversas universidades (como Escola Paulista de Medicina e Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) irá elaborar um plano para subsidiar o Ministério da Saúde na definição das áreas e grupos etários para receber a vacina.

Dividido em 3 fases, o estudo deve determinar o grau de imunidade da população à infecção pelo vírus da dengue e avaliar a resposta imunológica de pacientes infectados, bem como o desenvolvimento dos casos graves da doença. Além disso, está previsto também um trabalho de morbi-mortalidade para coletar informações epidemiológicas para caracterizar a ocorrência, o perfil da transmissão de dengue no país, reunindo informações adicionais sobre grupos etários vulneráveis, taxas de letalidade e sorotipos circulantes.

Testes

A vacina brasileira contra a dengue, que já está em fase de testes em humanos, é desenvolvida pelo Instituto Butantan, com o apoio do Ministério da Saúde. A expectativa é que o imunobiológico seja administrado em uma única dose e combata os quatro sorotipos da doença (1, 2, 3 e 4) já identificados no mundo. A técnica utiliza o chamado vírus atenuado, isto é, o próprio vírus da dengue modificado, de maneira que produz anticorpos na população, mas não desenvolve a doença. A pesquisa pelo Instituto Butantan iniciou em 2006.

No mundo estão sendo testadas sete vacinas. No Brasil, além do Butantan, o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos Bio-Manguinhos, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), também está pesquisando uma nova vacina contra a dengue com apoio do Ministério da Saúde. Os estudos são realizados desde 2009, em parceria com o laboratório privado GSK. A previsão é que a vacina seja concluída no prazo de cinco anos.

Fonte: SaúdeWeb

 13040
(0 votos)
   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032