Notícias sobre saúde

Conheça a atemoia

Conheça a atemoia

Muita gente confunde a atemoia, a fruta-pinha e a graviola. Você sabe diferenciar as três? A atemoia é uma fruta híbrida, nativa de regiões tropicais do Peru, Equador e Colômbia, resultado do cruzamento com a fruta-pinha (Annona squamosa, L.) e a cherimoia (Annona cherimola, Mill).

Ambas pertencem à família das anonáceas, a mesma da graviola.

Apesar de ser pouco conhecida, a atemoia é altamente nutritiva. “A atemoia ajuda na redução da pressão arterial porque é fonte de potássio, que é um vasodilatador natural. Ele também ajuda o corpo a equilibrar a quantidade de água no metabolismo e é bom para contração muscular, por isso é ótimo principalmente para quem pratica atividades físicas regularmente”, explica Vanessa Maniezo, Gerente de Nutrição das Instituições Afiliadas da SPDM.

Uma pesquisa da Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA) da Unicamp mostrou, inclusive, que a atemoia tem tanto potássio quanto a banana. Além disso, os pesquisadores também revelaram que a atemoia tem poder antioxidante e compostos anti-inflamatórios.

Essa fruta também possui muitas fibras, que ajudam no bom funcionamento do intestino, dão maior sensação de saciedade e ainda diminuem a absorção de açúcar e gordura.

“A atemoia também é fonte de energia para o dia a dia, pois sua polpa é cheia de carboidratos. No entanto, ela deve ser consumida com moderação, principalmente por quem quer perder peso, por ser bastante calórica”, alerta a nutricionista.

E nada de jogar casca e semente fora, a atemoia pode ser toda aproveitada! Tanto a casca quanto as sementes são ricas em fibras e minerais. A mesma pesquisa da Unicamp mostrou ainda que as sementes da atemoia contém ácidos graxos e ômegas 3 e 6, que são muito encontrados no azeite, por exemplo. “Esses nutrientes ajudam a diminuir o colesterol ruim, prevenindo doenças cardiovasculares”, lembra Vanessa.

As semente podem ser trituradas e apreciadas com sorvetes, iogurtes e frutas, como se fosse uma granola. Já com a casca é possível produzir compotas e geleia. E com a polpa, além de consumir a fruta in natura, é possível fazer sucos e até purês.

 3612
(0 votos)
   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032